Receba Newsletter

Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!

IAB-RS apoia evento com o American Institute of Architects (AIA)

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
O evento promovido pelo American Institute of Aarchitects (AIA) e apiado pelo IAB-RS tem como iniciativa desenvolver a habilidade e capacidade dos participantes do programa a projetar e implementar uma forma adaptada de processo de assistência ao projeto de cidade, comunidade e urbano para as comunidades brasileiras. 

SAIBA MAIS:
Workshop Internacional:
O Processo de Assistência ao Projeto de Cidade
10 e 11/12/2014
Porto Alegre, Brasil

Este documento fornece uma visão geral da proposta do American Institute of Architects para o Workshop. Este programa consistirá de duas atividades básicas:
– Os treinadores do Center for Communities by Design irão conduzir dois dias de workshop de treinamento com 25 a 30 participantes.
– Os membros do Center estarão participando e guiarão um projeto piloto em Porto Alegre com um time formado por participantes treinados no local e observadores. Antecipa-se que esta atividade ocorrerá entre 4-8 meses após o treinamento do workshop. O processo do projeto piloto será realizado em cinco dias.
Benefícios/ Resultados
A meta desta iniciativa é desenvolver a habilidade e capacidade dos participantes do programa a projetar e implementar uma forma adaptada de processo de assistência ao projeto de cidade, comunidade e urbano para as comunidades brasileiras. O AIA propõe implementar a iniciativa em duas fases.
Fase 1: Dois dias de Treinamento no Assistência de Projeto (WORKSHOP INTERNACIONAL). O AIA conduzirá um workshop de treinamento de dois dias com participantes inscritos. As metas do workshop de treinamento incluirão:
– Fornecer aos participantes as oportunidades para a prática, usando frameworks críticos para análise de desafios da participação pública nas suas comunidades e contexto cultural, indentificando o processo de projeto e as abordagens de participação;
– Dar experiência aos participantes usando diversas técnicas e métodos diferentes para engajar e envolver um grupo, bem como as habilidades para saber quais as técnicas que são apropriadas e como melhor utilizá-las;
– Prover aos participantes o entendimento das diferenças entre um processo genérico e um processo de comunidade autêntico, os elementos centrais que os diferenciam;
– Prover aos participantes o entendimento de como estruturar o processo local e organizá-lo de forma efetiva para liderança cívica e construção de capacidades. Como resultado do treinamento do workshop, os participantes irão obter as seguintes habilidades;
– Os participantes irão conhecer uma breve história da participação pública e como o processo de assistência de projeto tem evoluído;
– Os participantes irão entender os elementos centrais da filosofia de assistência de projeto e aproximação com as comunidades;
– Os participantes aprenderão a aplicar este framework para projetar e estruturar o processo publico;
– Os participantes saberão como aplicar uma gama de técnicas bem-sucedidas de engajamento de comunidades em differentes configurações comunitárias;
– Os participantes irão aprender uma gama de técnicas bem-sucedidas de processo comunitário e formatos de reuniões em diferentes configurações;
– Os participantes irão aprender a produzir uma estrutura para um projeto futuro em Porto Alegre.
Fase 2: Projeto Piloto de Assistência de Projeto*
*(A FASE 2 NÃO ESTÁ INCLUIDA NO WORKSHOP INTERNACIONAL. DATA E VALORES A SEREM DEFINIDOS CONFORME INTERESSE DOS PARTICIPANTES NA FASE 1.)
Como resultado do workshop de treinamento, os participantes irão formular planos para um projeto em Porto Alegre, e organizar o primeiro projeto piloto para assistência de projeto com a orientação e suporte do AIA. O projeto piloto deve realizar-se de 3 a 6 meses após o workshop de treinamento. O time de treinamento irá retornar a Porto Alegre para assistir um time central de profissionais brasileiros para a implementação do evento de assistência de projeto. Como resultado deste projeto piloto, os participantes obterão o seguinte:
– Os participantes obterão habilidades práticas e experiências no modelo de assistência de projeto através de um projeto real que eles conceberam e realizaram.
– Observadores adicionais e voluntários irão adquirir conhecimento através de uma avaliação do tipo “fishbowl”;
– Lições aprendidas do projeto piloto podem ser aplicadas para adaptar o modelo;
– O projeto piloto irá prover um caso real com resultado de projeto tangível em Porto Alegre e irá prover um formato para projetos adaptados similares em outros lugares.
O Programa do Workshop
Este programa irá treinar os participantes no Modelo de Time De Assistência em Projeto (Design Assistance Team – DAT) do American Institute of Architects, uma abordagem customizável para publicamente dirigir projeto e implementação de cidades. Este treinamento irá prover aos participantes com as seguintes informações e habilidades:
Módulo 1: História e Estado da Prática em Participação Pública em Planejamento Urbano e Projeto de Cidade
Este módulo irá introduzir os participantes à história contemporânea e evolução do processo público de planejamento urbano, assim como o estado atual da prática da arte (ativa e passiva) em configurações comparativas internacionais.
Módulo 2: Valores e Princípios do Processo de Assistência ao Projeto
Esta sessão irá utilizar conteúdo de multi-mídia, uma breve visão geral e exercícios interativos com os participantes do grupo nos valores centrais da participação pública efetiva, assim como eles podem aplicar valores públicos universais aos seus próprios processos.
Módulo 3: Organizando para o Sucesso
O modelo organizacional DAT. Âmbito do projeto e estrutura da comunidade para implementação. Este modulo irá apresentar como conceber e refinar o âmbito do projeto, assim como os aspectos organizacionais e construção de capacidades, incluindo modelos de organização efetivos que utilizam ampla liderança cívica do que dependência do setor público.
Módulo 4: O Processo de Projeto
Este módulo utilizará exercícios interativos e estudos de caso práticos, assim com uma visão geral de ambas considerações estratégicas e táticas em processo de projeto, provendo os participantes com as necessárias frameworks a serem consideradas em processos de projetos públicos. Serão também compartilhados formatos que podem ser adaptados para o uso em uma vasta gama de configurações de contextos.
Módulo 5: Técnicas de Engajamento da Comunidade
Este modulo irá expor os participante a um gama de estudos de caso inovadores em engajamento de comunidade, informando critérios para o desenvolvimento de eventos comunitários autênticos, incluindo um workshop interativo em técnicas criativas de engajamento comunitário na própria configuração comunitária dos participantes.
Módulo 6: Técnicas de Participação Pública
Este módulo irá introduzir técnicas comuns de participação para processos públicos e irá engajar os participantes em treinamento experimental em uma seleção de métodos como reuniões Open Space e estilo Coffee.
Como resultado desta sessão de treinamento, os participantes poderão aplicar as frameworks e elementos do modelo a uma gama de configurações comunitárias específicas, adaptando uma variedade de técnicas, para servir a realidades contextuais diferentes. O workshop de treinamento irá prover um conjunto de habilidades práticas que os participantes podem utilizar para implementar sua própria abordagem do projeto. A sessão também irá fornecer aos participantes uma framework para desenvolvimento de liderança cívica, aproveitando os recursos da comunidade inteira em realizar aspirações públicas na configuração comunitária.
Materiais do Curso
O workshop de treinamento incluirá os seguintes materiais de curso:
– Apresentação do treinamento. Os treinadores utilizarão uma apresentação de powerpoint, introduzindo exercícios e fornecendo informações em estudos de caso.
– Filmes curtos. Os treinadores irão apresentar alguns filmes curtos para mostrar o processo de Assistência de Projeto em andamento em comunidades, informações gerais e resultados típicos destes projetos.
– Livro de trabalho do participante. Os treinadores incluirão slides de apresentação, estudos de caso e informação do programa em um livro de trabalho para o uso durante o workshop.
Método de Instrução
Os treinadores empregarão metodologias de aprendizado a adultos para a sessão de Designer Democrático, utilizando uma variedade de métodos atraentes a diferentes tipos de aprendizado, incluindo o seguinte:
– Reunindo Expectativas
A implementação do conteúdo do treinamento irá responder às necessidades de informação e expectativas reunidas a partir dos participantes no início da sessão, para embasar o conteúdo nas experiências deles e permitir que eles apliquem seus próprios conhecimentos em cenários reais durante o treinamento.
– Estudos de Caso Práticos
O treinamento irá permitir aos participantes trazer suas próprias experiências e trabalhos em andamento para a sessão e desenvolver ferramentas para serem aplicadas àqueles trabalhos. Os treinadores irão solicitar desafios atuais a partir das experiências dos participantes como casos para aplicar a análise e os exercícios. Os treinadores irão também apresentar casos do mundo real, tanto de sucesso como falhos, para demonstrar o projeto crítico do processo e técnicas.
– Conteúdo visual e auditivo
Os treinadores irão utilizar uma variedade de técnicas de apresentação e mídia para apresentar o conteúdo aos participantes, incluindo a apresentação de slides, filmes curtos, flip charts, e outros meios, assim como demonstrações.
– Participação ativa
Os treinadores não apenas apresentarão uma variedade de ferramentas, mas proverão a implementação destas técnicas via aplicação prática (hands-on) e exercícios interativos. Os exercícios irão incluir discussões de seguimento e reflexão. As técnicas incluirão simulações e dramatização de cenários para uma variedade de solicitações de participação pública do mundo real. Por exemplo, participantes serão guiados através de uma simulação de um processo de World Café e um de Espaço Aberto para vivenciar como a as técnicas se aplicam em um processo maior como a charrete e em uma dada necessidade de participação pública. Estas simulações serão diretamente ligadas ao melhoramento do patrimônio urbano. Portanto o conteúdo dos diálogos simulados podem relacionar diretamente com o trabalho do evento (projeto piloto). Participantes serão engajados em participação ativa através de exercícios em torno do projeto de design, bem como indentificação das partes interessadas.
– Tamanho do grupo
Durante o treinamento, os participantes vivenciarão o trabalho como indivíduos, como grupos pequenos, como grandes grupos, provendo uma variedade de configurações para o aprendizado e engajamento, num formato ativo que constrói relações entre os participantes.
– Reflexão:
A sessão será concluída com um exercício de reflexão e comentários (feedback) em como os participantes irão colocar suas novas habilidades e ferramentas em uso direto em seus futuros trabalhos comunitários. Os treinadores têm experiência em trabalhar em centenas de contextos comunitários e podem adaptar o treinamento dos módulos de maneira a melhor atender às necessidades do grupo e de acordo com a experiência dos participantes.
Os Treinadores
Joel Mills é diretor do Center for Communities by Design do American Institute for Architects. O Center é um fornecedor líder de assistência técnica para o bem (pro bono) e planejamento para sustentabilidade comunitária. O processo do Center tem sido modelado com sucesso nos Estados Unidos e através da Europa. O Center tem recebido inúmeros prêmios de reconhecimento do seu impacto. Em 2013, o Center recebeu o Power of Award do Center for Association Leadership e Facilitation Impact Award, da International Association of Facilitators. Os 20 anos de carreira de Joel têm sido focados em reforçar capacidade cívica e instituições cívicas ao redor do mundo. Seu trabalho tem auxiliado milhões de pessoas a participar em processos democráticos, visando esforços e iniciativas de planejamento de comunidades. Nos Estados Unidos, Joel esteve trabalhando com mais de 100 comunidades, liderando iniciativas participatórias e processos colaborativos que facilitaram estratégias geradas pela comunidade em uma série de questões. Durante os últimos cinco anos, este trabalho tem catalizado acima de US$ 1 bilhão em novos investimentos. Seu trabalho passado tem sido destaque em mais de 1000 relatos, incluindo ABC World News Tonight, Nightline, CNN, The Next American City, Smart City Radio, The National Civic Review, Ecostructure Magazine, The Washington Post, e dúzias de outras fontes. Ele tem servido em inúmeros grupos de trabalho, bancas, juris e painéis focados em discurso e participação civil, sustentabilidade e projeto. Ele também tem palestrado em dúzias de conferências e eventos nacionais e internacionais, incluindo World Eco City Summit, o Global Democracy Conference, o National Conference on Citizenship e muitas outras.
Wayne Feiden é Diretor de Planejamento e Sustentabilidade de Northampton. Ele liderou esta cidade a obter o mais alto resultado de “Capital Comunitária” (“Commonwealth Capital”), a antiga pontuação para esforços municipais em sustentabilidade, e as designações de cidade “Amigável Bicicleta”, “Amigável-Pedestre” e “Excelente Ruas”. Seu foco inclui revitalização do centro (downtown), sustentabilidade, transportes, preservação de espaços abertos e simplificação de esforços regulatórios. Wayne tem servido em 16 equipes de avaliação de projetos. Ele também mantém um pequeno escritório de consultoria em planejamento servindo clientes municipais e organizações não governamentais. Em adição, Wayne serve como professor adjunto na Universidade de Massachusettes e Westfield State University. A Eisenhower Fellowship recebida por Wayne para Hungria e Fulbrights Fellowship, para África do Sul e Nova Zelândia, são todas focadas em sustentabilidade.

BACKGROUND: O Center for Communities by Design
O Center for Communities by Design serve como catalisador, aproximador e centro de recursos que auxilia os membros do AIA a trabalhar com cidadãos e outros interessados a estabelecer a visão e criação de comunidades mais sustentáveis, saudáveis, seguras e habitáveis.

– Assistência de Projeto. Através do programa de Assistência de Projeto, mais de 1000 profissionais de mais de 30 disciplinas têm fornecido milhões de dólares em serviços profissionais para o bem (pro bono) em mais de 200 comunidades nos Estados Unidos, engajando milhares de participantes em processos de planejamento liderados pela comunidade. O Center trabalha com 8 a 12 comunidades por ano.

– Treinamento e Assistência Técnica: O Center provém assistência técnica e treinamento em sustentabilidade.

– Centro de Recursos. O Center serve como um centro nacional de recursos para os componentes do AIA, organizações parceiras e agências governamentais, entre outras.

– Aproximador. O Center é uma organização aproximadora para diálogos no campo de sustentabilidade de comunidades, projeto urbano e participação pública.

Programa de Assistência ao Projeto
O que é Assistência ao Projeto?
Assistência ao projeto é uma iniciativa estratégica do American Institute of Architects. Através do programa de assistência de projeto, mais de 1000 profissionais de mais de 30 disciplinas têm fornecido milhões de dólares em serviços profissionais para o bem (pro bono) em mais de 200 comunidades nos Estados Unidos, engajando milhares de participantes em processos de planejamento liderados pela comunidade.

– Equipes de Assistência ao Projeto Regional(R) e Urbano(U) (R/U Design Assessment Teams R/UDAT): Criado em 1967, o programa R/UDAT do AIA foi pioneiro no processo de charretes moderno por combinar equipes multidiciplinares em processos dinâmicos, de vários dias de base para produzir visões comunitárias, planos de ação e recomendações.

– Equipe de Avaliação da Sustentabilidade do Projeto (Sustainable Design Assessment Teams (SDAT): Em 2005, como responsta ao aumento do interesse e preocupação com o planejamento de sustentabilidade local, o AIA lançou um programa companheiro ao R/UDAT que permitiu ao AIA fazer investimentos institucionais de vulto em trabalhos de serviço público para assistir as comunidades em desenvolver modelos de procedimento e planos de longo prazo em sustentabilidade. Desde 2005, os programs do SDAT tem trabalhado com mais de 50 municípios, cidades e regiões.

A Filosofia da Assistência de Projeto
A Filosofia da Assistência de Projeto está construída sobre um sistema integrado de abordagem a comunidades. Enquanto o processo típico de decisão pública é conduzido dentro dos parâmetros do governo representativo, a assistência de projeto transcende o processo político e expande o diálogo público para incluir outros setores, com a intenção de construir uma plataforma de colaboração entre diversos setores, liderança cívica e uma nova abordagem ao trabalho público. O processo de assistência de projeto aproxima os líderes de governo e civis, o setor de negócios, os líderes de organizações sem fins lucrativos e o público em geral em um diálogo integrado, o ‘diálogo comunitário integrado’ (‘whole-community dialogue’) para desenvolver planos de ação coletivos para o futuro. Esta filosofia eleva o conceito de ‘cidadão perito’ (‘citizen expert’) e combina equipes focadas sob medida nas necessidades do cliente e interdiciplinárias de peritos em uma maneira integrada com a comunidade. O modelo de assistência ao projeto tem sido adaptado com sucesso para as necessidades de centenas de comunidades nos Estados Unidos e Canadá, e tem sido adaptado e implementado com sucesso em centenas de comunidades no Reino Unido (‘eventos de planejamento de comunidades’), na Alemanha (fins-de-semana de planejamento) e uma série de outros Países que incluem contextos diversos com Líbano, Rússia e Escócia. O processo tem sido reconhecido por ambas, a International Association for Public Participation (IAP2) e International Association of Facilitators (IAF) como uma importante ferramenta para tomadas de decisão democráticas. Como o IAP2 tem salientado, a força do processo de assistência de projeto inclui “Um conjunto de valores reproduzíveis e um processo que pode ser amplamente aplicado ao projeto urbano e comunidades sustentáveis; e o desenvolvimento da cultura participatória e valores aplicáveis que explicitamente reconhecem o papel central do público no projeto do ambiente construído – o qual tem influenciado em como a organização, seus membros e a profissão abordam seu trabalho”.

O programa de Assistência ao Projeto opera em quatro considerações:
– Contexto
Cada comunidade representa um lugar único que é o produto de sua própria história, tradição e evolução. Não existe uma abordagem do tipo um ‘tamanho-únicoque- sirva-a-todas’ para a construção comunitária. Entretanto, cada projeto é designado com uma abordagem sob medida para a assistência comunitária, a qual incorpora realidades locais, os desafios e bens únicos de cada comunidade. Peritos nacionais são combinados por conhecimento nas área dos assuntos envolvidos e a experiêcia no contexto para servir a cada projeto. Processos públicos são designados a servir práticas, experiências e cultura locais.

– Pensamento de Sistemas
Estratégias comunitárias bem-sucedidas requerem um completo sistema de análise e estratégias integradas. Como resultado, cada equipe de assistência de projeto inclui um foco interdiciplinário e uma abordagem sistemática para a avaliação e recomendação, incorporando e examinando temas de corte e relações entre questões. Para completar esta tarefa, o Center forma equipes que combinam uma variedade de disciplinas e profissões para a avaliação e processo de projeto integrado.

– Interesse Público
Comunidades bem-sucedidas trabalham juntas para o bem-comum, indo além das agendas limitadas para servir o todo. A meta da equipe de assistência de projeto é prover às comunidades modelos para a ação coletiva. Consequentemente, cada equipe de projeto é montada com a meta de trazer uma perspectiva objetiva para a comunidade que transcenda as políticas normais de questões comunitárias. Os membros da equipe são deliberadamente selecionados em regiões fora da comunidade hospedeira, e equipes do AIA nacional são tipicamente representativas de um vasto escopo de arranjos comunitários. Os membros da equipe concordam em servir para o bem (pro bono), e não se engajam em atividades de desenvolvimento de negócios com o serviço por eles prestado. Eles não servem a um cliente particular. O papel da equipe é ouvir e observar, provendo uma análise independente e conselhos técnicos desimpedidos que sirvam ao interesse público.

“Consultores trabalham para alguém. R/UDAT trabalha para todos.”
Chuck Redmon, FAIA
– Engajamento e Parceria Comunitária
Construção comunitária requer trabalho público coletivo. Cada assistência de projeto é um evento público. O ‘cidadão perito’ é a parte central do processo de assistência de projeto. O AIA possui cinco décadas de tradição em projetar processos orientados pela comunidade que incorporam dúzias de técnicas para engajar o público, em formatos multi-facetados, e envolver a comunidade em seus diversos setores. Esta abordagem permite que a equipe nacional construa sobre a competência substancial local já existente e disponível na comunidade, trazendo o melhor conhecimento disponível na formulação de suas recomendações. Esta também provém uma plataforma para a construção de relações, parcerias e colaborações para implementação do plano.

“Nós não vamos reconstruir nossas cidades do topo para baixo.
Nós precisamos reconstruí-las de baixo para cima”.
David Lewis, FAIA

Um Recorde de Comunidades Gavanizadas
O programa de Assistência de Projeto assistiu mais de 200 comunidades desde 1967. Tem feito contribuições de vulto em lugares públicos significantes na America, como o Embarcadero em São Francisco, o Perl District em Portland, LoDo, a 16th Street Mall em Denver, e o desenvolvimento da Santa Fé Railyard Redevelopment no New Mexico. Tem espalhado transformações urbanas em cidades como Austin, Texas. O programa de assistência de projeto tem tambem contribuido com comunidades rurais e subúrbios por todo País, numa variedade de contextos.

O Impacto Global da Assistênica de Projeto – uma breve linha do tempo
Nos últimos vinte e cinco anos do século passado, o processo de assistência de projeto tem sido reproduzido em mais de uma dúzia de Países pelo mundo e tem contribuído a espalhar o movimento de projeto comunitário nos Estado Unidos.

– 1988 – O processo do AIA R/UDAT é internacionalizado.

– Canadá. St. Albert, Alberta R/UDAT: Os presidentes do AIA e do Royal Architectural Institute of Canada (RAIC) formalizam uma parceria para usar a Livable Winter Cities Conference como laboratório para o R/UDAT. A parceria expande para além das discussões conjuntas com o Urban Design Committee e RAIC, o qual inciou um projeto em 1982 em Toronto. Uma equipe conjunta R/UDAT americana-canadense é formada entre AIA e Alberta Association of Architects para conduzir o projeto. Projetos adicionais canadenses ocorrem em Edmonton (1990) e Moose Jaw (1992).

– Reino Unido. Mon Valley R/UDAT: Uma delegação do Reino Unido, liderada pelo Príncipe Charles, participa num intercâmbio internacional de profissionais denominado “Refazendo Cidades” e no Mon Valley R/UDAT, in Pittsburgh. Um grupo de profissionais de design do Reino Unido inicia a modelagem do processo com o primeiro “Fim-desemana de planejamento comunitário”, realizado em Londres.

– 1991. Os parceiros do Reino Unido e Alemanha realizam o primeiro evento de planjeamento comunitário na Alemanha, levando ao desenvolvimento dos “Fins-de- Semana Comunitários”. No Reino Unido, desenvolvimentos eventuais levam ao estabelecimento de um processo de ‘Questionamento by Design’, liderado pela Prince’s Foundation. Em 2006, a Academy of Urbanism é fundada para promover estes princípios. Como resultado dos eventos de planejamento comunitário no Reino Unido, o governo nacional formalmente regulamenta as exigências de participação comunitária nas tomadas de decisões governamentais.

– 1990s. Projetos pilotos em uma série de Países, incluindo Rússia, Líbano, Finlândia, China e outros.

Valor Internacional: Um Conjunto Reproduzível de Valores e Processo
Em 2010, o AIA recebeu da International Association for Public Participation’s (IAP2) o prêmio “Organization of the Year” pelas suas muitas contribuições à área de processos participativos e seu impacto nas comunidades. A membra da direção do IAP2 Board Member, Anne Carroll, destacou: “O julgamento do IAP2 focou nos esforços levados a cabo pelo Center for Communities by Design de integrar a participação pública e os valores centrais do IAP2 na cultura do Center. Os juízes destacaram os impressionantes 43 anos de história e evolução, a mudança em pensamento sobre toda a profissão, os múltiplos exemplos da influência na cultura do AIA, e a forte ênfase em avaliação de resultados. Ao encerrar, eu gostaria de chamar a atenção para os resultados críticos que ajudaram o AIA a receber este prêmio: um conjunto de valores reproduzíveis e um processo que pode ser amplamente aplicado ao projeto urbano e comunidades sustentáveis; o desenvolvimento de uma cultura participativa e valores aplicados que explicitamente reconhecem o local central do público no projeto do ambiente construído – o qual tem influenciado em como a organização, seus membros , e a profissão tem abordado seu trabalho”.

Informação de Contato Chave
Por gentileza sinta-se à vontade para dar continuidade a quaisquer questões ou retorno nas informações anteriores a:

No Brasil:
e-Ducere Arquitetura e Educação
contato@e-ducere.com
Porto Alegre, RS

Nos EUA:
Joel Mills
Director, Center for Communities by Design
American Institute of Architects
1735 New York Ave
Washington, DC 20006
(202) 626-7405
joelmills@aia.org

INFORMAÇÕES GERAIS:
Workshop Internacional: O Processo de Assistência ao Projeto de Cidade
Datas: 10 e 11 de dezembro 2014
Horário: 8h00 às 18h00 (20h/aula)
Local: Anfiteatro do Palácio do Ministério Público do Rio Grande do Sul, Praça Marechal Deodoro, n° 110, Praça da Matriz, Centro, Porto Alegre, RS
Público Alvo: arquitetos, urbanistas, líderes comunitários, políticos, funcionários públicos, representantes de instituições de ensino, fundações, institutos e lideranças de empresas que trabalham com projeto e/ou execução de obras públicas, entre outros.
Investimento:
Pagamento à vista por depósito bancário- R$ 880,00 ou
Pagamento parcelado – R$ 980,00 com cartão de crédito através do Paypal.
(2 x R$ 490,00, 3 x R$ 327,00 ou 4 x R$ 245,00)
Inscrições abertas até 1° de dezembro de 2014.
Política de cancelamento e reembolsos:
até 1/12: reembolso de 80% do valor pago; taxa de inscrição não reembolsável de 20%.
até 4/12: reembolso de 50% do valor pago.
após 4/12: não será possivel reembolso, mas participante pode indicar outra pessoa
para a vaga.
Não comparecimentos nos dias do workshop: não será possivel reembolso. Participante recebe o material didático.
O percentual de frequência exigido para certificação é de 100% (cem por cento).

Cerificado emitido pelo American Institute of Architects

Informações e inscrições: contato@e-ducere.com

Por: Diretoria Instituto de Arquitetos do Brasil - IAB

Outras Notícias

IAB RS elege nova direção para o triênio 2023/2025

O Instituto de Arquitetos do Brasil – Departamento do Rio Grande do Sul (IAB RS) elegeu no último sábado (26/11) a nova direção da entidade para o triênio 2023-2025. Foi eleita a chapa única denominada “IAB Cidade, Cultura e Sociedade”, encabeçada pela nova presidente do IAB RS,  Clarice Mizocsky de Oliveira. A arquiteta e urbanista divide a presidência com mais três lideranças femininas que integram a gestão compartilhada: Paula Silva Motta dos Santos, Nathalia Pereira Danezzi e Bruna Bergamaschi Tavares.

Leia Mais →

Eleição virtual no IAB RS será neste sábado (26/11)

A Assembleia Geral Ordinária de Eleições para o triênio 2023/2025, que vai definir a nova diretoria do Instituto de Arquitetos do Brasil – Departamento do Rio Grande do Sul (IAB RS), ocorrerá de forma virtual, no sábado dia 26 de novembro, das 9h às 21h. Vale lembrar que apenas associados arquitetos e urbanistas, em dia com a entidade, poderão participar do processo eleitoral. Também informamos que os núcleos do IAB RS no interior do Estado terão acesso somente a sua plataforma local.

Leia Mais →

Aos 96 anos, o arquiteto Emil Bered lança seu primeiro livro

Autor de várias edificações icônicas da paisagem urbana de Porto Alegre e do interior do Rio Grande do Sul, o arquiteto ex-presidente do IAB RS Emil Bered, de 96 anos, lança seu primeiro livro que apresenta a trajetória profissional e acadêmica, além de oferecer relatos, imagens e emoções de sua vida pessoal, associados a depoimentos de familiares e colegas de profissão. Será na quarta-feira (23/11), às 18h30min, no saguão da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UFRGS.

Leia Mais →

Outras Notícias

Skate, estruturas e ATHIS são destaque no segundo dia da Trienal

O segundo dia da Trienal de Arquitetura e Urbanismo deu início às atividades no Multipalco do Theatro São Pedro. Na rua, os termômetros marcavam 30º, mas a sede do público era apenas por conhecimento. Os temas principais da quinta-feira rodearam os universos do ensino, das estruturas arquitetônicas, da inovação, e claro, da Assistência Técnica para Habitação de Interesse Social (ATHIS).

Leia Mais →

Solar do IAB RS recebe programação da Trienal de Arquitetura e Urbanismo

Porto Alegre acordou ensolarada para a abertura da Trienal de Arquitetura e Urbanismo, uma realização do Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU/RS). Entre os dias 16 e 19 de novembro, a capital gaúcha sediará um grande evento – gratuito – não apenas para profissionais e estudantes de Arquitetura e Urbanismo, mas para todos os que amam e vivem a cidade, a cultura e a arte.

Leia Mais →