Receba Newsletter

Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!

Livro inédito de Dyonelio Machado será lançado no IAB RS

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
No dia 01 de novembro, às 17 horas, ocorre na sede do IAB RS o lançamento do livro inédito Proscritos, de Dyonelio Machado, publicado pela editora Siglaviva. A obra é a segunda da trilogia Os flagelantes, que conta ainda com os romances Endiabrados, o único até então publicado, em 1980, e Terceira vigília.
Proscritos foi escrito em 1964, ano em que o regime militar se instaurou no Brasil, tendo ficado, portanto, longos 50 anos hermetizado sob a forma de manuscrito. Primeiro, segundo o próprio escritor, num desvão da estante, num lugar escuso até para ele, devido a sua atuação política contra o autoritarismo; depois, após sua morte, em 1985, em seu acervo organizado, que hoje se encontra na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre.
Graças ao trabalho do estudioso Camilo Mattar Raabe, que num trabalho minucioso fixou o texto original, escrevendo ainda um posfácio para esta edição, e da sensibilidade cultural de Amanda e Andrea Soler Machado, respectivamente nora e neta de Dyonelio, é que este livro pôde ser concretizado.
Dyonelio Machado, gaúcho de Quaraí, nascido em 1895, psiquiatra e neurologista de formação, é mais conhecido do público por seu romance Os ratos (1935), considerado uma das grandes obras da literatura universal. No entanto, mesmo assim, Dyonelio viveu praticamente toda a sua vida literária, e política também, como um proscrito, em razão de suas ideias avançadas.
Este livro, então, como diz Camilo em seu posfácio, surge como uma dívida a ser paga a Dyonelio Machado e, sobretudo, à liberdade da literatura, revelando um pouco da realidade que muito o silenciou. A atualidade de Proscritos, como o leitor perceberá, é perturbadora, por sua visão crítica sobre um mundo corrupto e de valores questionáveis.

O AUTOR

Nascido em Quaraí, no interior do Rio Grande do Sul, cidade fronteiriça com o Uruguai e palco de revoluções, Dyonelio Machado (1895-1985) mudou-se ainda jovem para Porto Alegre, onde viveu por mais de setenta anos. A geografia do pampa fomentou a formação de sua literatura, nos causos contados nas rodas de chimarrão, porém é a cidade — e seu cidadão — o centro de sua criação. Sua literatura explora a condição psicológica do homem urbano em seu meio, inaugurando nova temática e estética no panorama literário da época. Sua proposta artística, aliada a concepções revolucionárias de ideologia marxista, dificultou a edição de seus trabalhos, chegando ele a passar vinte anos sem publicar, mesmo depois de ter conquistado premiações nacionais. É autor, entre outros livros, de Um pobre homem (1927), O louco do Cati (1942), Desolação (1944), Deuses econômicos (1966), Fada (1982) e do aclamado Os ratos (1935).

O livro poderá ser adquirido no dia do lançamento, ou através do site da editora:
http://www.siglaviva.com.br/proscritos.html

Por: Diretoria Instituto de Arquitetos do Brasil - IAB

Outras Notícias

Outras Notícias