Receba Newsletter

Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!

SMAM realizou audiência pública para discutir a implantação da nova sede da OSPA

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Em 20 de dezembro de 2005 realizou-se a consulta pública para licenciamento ambiental do novo Teatro da OSPA , organizada pela SMAM sob o comando do Secretário Municipal do Meio Ambiente Beto Moesch, nas dependências da Igreja Batista, no bairro Floresta, onde significativo número de pessoas compareceram entre autoridades municipais, representantes de organizações da comunidade e os responsáveis pela implantação do teatro junto ao Shopping Total, situado no terreno da antiga Cervejaria Brahma em Porto Alegre. Na ocasião foram apresentados os projetos de arquitetura e o estudo de impacto ambiental realizados pela equipe do Eng. Ismael Solé, autor do projeto e, em prosseguimento, a palavra foi concedida aos presentes mediante inscrição prévia abrindo-se espaço para os questionamentos do público e respostas pelos responsáveis.
O IAB-RS fez-se representar por integrantes do Conselho Diretivo, entre os diversos colegas arquitetos presentes, e na oportunidade o presidente Arq. Iran Rosa manifestou-se contundente sobre as questões culturais que envolvem a proposta de implantação do novo teatro, questionando sobre a real propriedade deste equipamento público construído com verba pública em local privado sem garantias da permanência deste bem, além da pouca abordagem verificada na apresentação dos projetos pela preservação da paisagem ambiental, do entorno, e do conjunto das edificações históricas, enfatizando serem estes elementos integrantes do patrimônio cultural que devem ser preservados e respeitados. Em sua fala ressaltou que “… a cidade não deve se comunicar com seus cidadãos através dos símbolos do comércio, e sim com os da cultura. A OSPA não é shopping, a OSPA que todos desejamos tenha a sua sede é Cultura!”. Iran Rosa destacou a importância do empenho do secretário Beto Moesch em garantir o direito dos cidadãos e representantes da sociedade organizada em participar dos processos de construção da cidade e na defesa do meio-ambiente por ter este, além de tudo, intrínseco valor cultural expresso na paisagem, finalizando sua fala recebeu fortes aplausos do público presente confirmando o desejo da maioria de buscar a melhor solução para o impasse provocado pela implantação da sala sinfônica e do edifício-garagem naquele local.

Por: Diretoria Instituto de Arquitetos do Brasil - IAB

Outras Notícias

Outras Notícias