Receba Newsletter

Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!

Venâncio Aires recebeu Caravana da Arquitetura

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
O município de Venâncio Aires recebeu no dia 14 de setembro, a Caravana da Arquitetura “Cultura e Concursos de Arquitetura”. O evento aberto ao público ocorreu na Biblioteca Pública Caá Yari e foi promovido pelo Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB RS) em parceria com a Prefeitura Municipal, com patrocínio do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Rio Grande do Sul – CAU/RS.

Na ocasião, ocorreu uma oficina participativa de ideias e propostas para o Centro Municipal de Cultura de Venâncio Aires, que está sendo idealizado pela Prefeitura da cidade, através da Secretaria de Cultura, Esportes e Turismo. A proposta é que o projeto seja escolhido pelo critério de qualidade, a partir de um Concurso Público de Arquitetura.

O evento teve abertura às 18h30min com a participação da Coordenadora da Biblioteca Caá Yari, Rosaria Garcia Costa. A seguir, o Secretário da Cultura, Esportes e Turismo, Thomás Lenz, falou sobre o tema e o objetivo do evento. A seguir, o Marcelo Heck, diretor do IAB RS realizou a mediação da oficina, apresentando o IAB RS, o que é um Concurso de Arquitetura e as principais questões do concurso em questão.

Os participantes foram divididos em grupos com o objetivo de discutir sobre três questões propostas pela mediação: “Qual a importância do centro municipal de cultura? ”, “Quais atividades poderão ser abrigadas no centro? ”, e “Quais atividades e ações poderiam ser associadas objetivando a viabilidade financeira do centro municipal de cultura?".

De acordo com o arquiteto Marcelo Arioli Heck, diretor do IAB RS e mediador da Caravana, o objetivo foi articular instituições, entidades e pessoas relacionadas com a cultura, além do público em geral interessado na pauta.“Foram tratados assuntos como as atividades que poderão ser vinculadas ao Centro, o espaço físico necessário e as formas de sustentabilidade social, ambiental e econômica do empreendimento”, informa Heck.

IAB - RS

Por: Diretoria Instituto de Arquitetos do Brasil - IAB

Outras Notícias

Nota pública: Suspensão da urbanização da Fazenda do Arado

A fazenda do Arado é patrimônio ambiental, arqueológico, histórico, cultural, arquitetônico e paisagístico de Porto Alegre, constituindo-se de uma zona primordial para manutenção de espécies da fauna e da flora, sujeita a enchentes e alagamentos por encontrar-se abaixo da cota de inundação do Guaíba. A zona serve como espaço de extravasamento natural do Guaíba, importante de ser preservado. O IAB RS reitera a necessidade de atenção máxima por parte dos governantes, sociedade civil, entidades e instituições às questões ambientais e suas relações com a cidade.

Leia Mais →

Na mídia: IAB RS participa de reportagem da Folha de São Paulo sobre reconstrução do RS

A copresidente do IAB RS, Clarice Misoczky de Oliveira, concedeu entrevista para reportagem da Folha de São Paulo. O ponto central foi a reconstrução do RS. “A questão habitacional é mais dramática. Há municípios no Vale do Taquari, como Muçum e Roca Sales, que se desenvolveram em áreas de encostas. Cidades como Santa Tereza em que parte das casas estão em áreas de inundações. Precisamos construir com segurança”, disse.

Leia Mais →

MANIFESTO IAB RS PARA A RECONSTRUÇÃO DO RS

Considerando a enorme tragédia causada pelos efeitos da crise climática e pelo descaso do poder público com o planejamento urbano e regional sustentável na promoção de cidades justas, igualitárias e ecologicamente  equilibradas, a Comissão Cidades/IAB RS, por meio deste, manifesta a necessidade de atenção às questões referentes às diferentes escalas de planejamento, arquitetura e urbanismo para reconstrução das cidades do Rio Grande do Sul, aqui agrupadas em dois grandes grupos: (A) Planejamento Urbano e Regional e (B) Moradia Digna.

Leia Mais →

Outras Notícias

COMUNICADO DO IAB RS SOBRE O ESTADO DE CALAMIDADE CLIMÁTICA

O momento é grave e compreendemos que enquanto Instituto temos um trabalho de articulação de impacto a médio prazo, sendo provocadas e estruturadas redes que auxiliem nas questões habitacionais e de reestruturação das cidades, com projetos que considerem os riscos e impactos que os eventos climáticos tem gerado em nossas cidades, de modo mais frequente e de maior intensidade. Compreendendo a sensibilidade das questões ambientais, com a natureza impondo seus limites, frente às ocupações urbanas.

Leia Mais →