Receba Newsletter

Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!

A ferrovia no município do Rio Grande

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Porto Alegre e o Rio Grande foram os pontos principais de convergência das ferrovias a serem implantadas no Estado, pois a cidade do Rio Grande possui o único porto marítimo do Estado, por onde eram importadas e exportadas as mercadorias. Inaugurada em 2 de dezembro de 1884, com 282,449992km, a estrada de ferro tinha 16 estações, sendo 4 dessas no município do Rio Grande: Estação Central, Estação Marítima, Estação da Vila da Quinta e Estação da Vila do Povo Novo. Na área também encontramos diversas residências utilizadas pelos funcionários, com padrões construtivos diferenciados, de acordo com a época da construção. Ao longo destes anos de existência, os prédios sofreram a deterioração natural, acréscimos que deturparam suas características originais como a retirada de elementos decorativos e a substituição da cobertura. Preservar a Estação Central e os demais prédios que compõem esse complexo é indispensável, urgindo a ação de protegê-los a fim de evitar que “o progresso” destrua o passado. Até 1996, a Estação Central, como é popularmente conhecido o Sítio Ferroviário, funcionava como central de controle de cargas, sendo entre elas a soja, o farelo, o arroz, os combustíveis, o álcool e os fertilizantes. Entretanto, o Consórcio Atlântico Sul, que assumiu o transporte ferroviário nos Estados da Região Sul, considerou o ramal que liga a Vila da Quinta à Estação Central, bem como os prédios que compõem esta malha, não operacionais, havendo sido deixados em completo abandono.
Desde 1997, o Executivo Municipal busca encampar o Sítio Ferroviário, além da malha ferroviária propriamente dita, tendo elaborado solicitação ao Ministério dos Transportes e, após autorização, implantou a Secretaria Municipal de Habitação e Desenvolvimento no prédio da Estação Central.
A partir dessa ocupação, o Sítio Ferroviário ganhou vida e em março de 1998 foi inaugurado o Centro Municipal de Eventos, em um dos depósitos da antiga Rede Ferroviária. Estando constantemente em obras, o Sítio Ferroviário possui um planejamento para ocupação dos depósitos e oficinas. O Centro Municipal de Eventos e a sede da Secretaria Municipal de Habitação, já instalados no complexo, são parte desse programa.
Foi também elaborado um projeto para a construção de um pórtico de entrada, pela Rua Dois de Novembro, numa área coberta de 159,88m2. Um Centro Turístico, com Centro de Artesanato, Museu Ferroviário, Teatro de Arena e bar, está programado para ocupar o pavilhão de oficinas e o almoxarifado. No pavilhão do depósito deverá funcionar a sede da Associação Brasileira de Preservação Ferroviária, além do Museu Ferroviário. Arq. Oscar Décio Carneiro
Diretor do Núcleo do IAB Cidade do Rio Grande

IAB - RS

Por: Diretoria Instituto de Arquitetos do Brasil - IAB

Outras Notícias

Na mídia: IAB RS participa de reportagem da Folha de São Paulo sobre reconstrução do RS

A copresidente do IAB RS, Clarice Misoczky de Oliveira, concedeu entrevista para reportagem da Folha de São Paulo. O ponto central foi a reconstrução do RS. “A questão habitacional é mais dramática. Há municípios no Vale do Taquari, como Muçum e Roca Sales, que se desenvolveram em áreas de encostas. Cidades como Santa Tereza em que parte das casas estão em áreas de inundações. Precisamos construir com segurança”, disse.

Leia Mais →

MANIFESTO IAB RS PARA A RECONSTRUÇÃO DO RS

Considerando a enorme tragédia causada pelos efeitos da crise climática e pelo descaso do poder público com o planejamento urbano e regional sustentável na promoção de cidades justas, igualitárias e ecologicamente  equilibradas, a Comissão Cidades/IAB RS, por meio deste, manifesta a necessidade de atenção às questões referentes às diferentes escalas de planejamento, arquitetura e urbanismo para reconstrução das cidades do Rio Grande do Sul, aqui agrupadas em dois grandes grupos: (A) Planejamento Urbano e Regional e (B) Moradia Digna.

Leia Mais →

Outras Notícias

COMUNICADO DO IAB RS SOBRE O ESTADO DE CALAMIDADE CLIMÁTICA

O momento é grave e compreendemos que enquanto Instituto temos um trabalho de articulação de impacto a médio prazo, sendo provocadas e estruturadas redes que auxiliem nas questões habitacionais e de reestruturação das cidades, com projetos que considerem os riscos e impactos que os eventos climáticos tem gerado em nossas cidades, de modo mais frequente e de maior intensidade. Compreendendo a sensibilidade das questões ambientais, com a natureza impondo seus limites, frente às ocupações urbanas.

Leia Mais →

Nota pública em apoio às familias atingidas pelas enchentes no RS

O IAB-RS manifesta solidariedade às famílias atingidas pelas inundações e enchentes no Rio Grande do Sul. Os eventos de chuvas extremas estão se mostrando uma realidade com recorrência no nosso estado. O momento pede a soma de esforços de todos os setores da sociedade para ajudar aqueles que estão em situação de vulnerabilidade.

Leia Mais →