Receba Newsletter

Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!

As Cidades Históricas e a Proteção ao Patrimônio da Humanidade – livro de Fernando Fernandes da Silva

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

A Editora Peirópolis está lançando o livro As Cidades Históricas e a Proteção ao Patrimônio da Humanidade , do advogado Fernando Fernandes da Silva. Trata-se de um guia inédito no mercado sobre os procedimentos necessários para o tombamento de um bem cultural, baseado na Conferência de 1972 da Unesco sobre patrimônio histórico. A obra explica a quem recorrer, quais as prerrogativas exigidas e como manter um bem tombado. Obra Defende a Importância da Preservação do Patrimônio Cultural Brasileiro – Lançamento da Editora Peirópolis tem sua importância e originalidade reconhecida pela Unesco As cidades históricas brasileiras e a proteção ao patrimônio da humanidade é um estudo inédito sobre a Convenção Relativa à Proteção do Patrimônio Mundial, Cultural e Natural, de 1972, cuja originalidade é reconhecida, inclusive, pela Unesco, organização que lidera a cooperação internacional pela preservação do patrimônio mundial. Obra de referência para estudiosos e operadores da proteção ao rico patrimônio cultural brasileiro, este livro de Fernando Fernandes da Silva identifica com maestria a estrutura, o funcionamento e os mecanismos da Convenção da Unesco (1972), demonstrando a sua ação protetora em relação aos bens culturais. Inicialmente ele nos oferece uma noção histórica do conceito de bem cultural, em tempos de guerra e de paz para, em seguida, refletir sobre os diferentes aspectos da tutela oferecida atualmente às cidades históricas brasileiras incluídas na lista do Patrimônio Cultural da Humanidade, desvendando, com notável clareza e rigor científico, os meandros da convenção que rege a cooperação e a assistência internacional aos bens culturais. Segundo o autor, a proteção, que até o início do século XX era permeada da idéia de preservação em face da guerra, teve, a partir de 1945, com o surgimento da Unesco, seu escopo ampliado. Assim, “foram incluídos outros fatores de risco, como as ações destrutivas do meio ambiente, o crescimento desordenado das cidades e uma noção de progresso que desconsidera valores sociais desprovidos de qualquer conteúdo econômico. É o que se costuma denominar, na doutrina, proteção em tempos de paz.”
O conceito de delimitação do patrimônio cultural e suas diferentes formas – Lista do Patrimônio Mundial ou Lista do Patrimônio Mundial em Perigo – é tratado aqui como parte fundamental do trabalho, uma vez que elucida de vez por todas as diferentes etapas de inscrição de um bem cultural na Lista do Patrimônio Mundial e seus critérios e garantindo aos que se dedicam à preservação de bens culturais o conhecimento aprofundado sobre a questão. A legislação brasileira que se relaciona direta ou indiretamente com a convenção é também apresentada aos que buscam na lei o entendimento da matéria.
O prefaciador desta obra, o Prof. Dr. Guido Soares, nos desperta para o significado que a proteção vem ganhando nos dias de hoje, tempos de paz, mas de eterna vigilância em relação ao planeta e ao nosso hábitat: “na visão do desenvolvimento sustentável, a preservação do patrimônio natural e cultural, que constitui o hábitat do ser humano, decorre dos deveres de preservar aquilo que não se pode reconstruir, uma vez destruído. E tais deveres são referíveis a quaisquer seres que integram o conceito de humanidade, entidade sem fronteiras, que existe onde haja homens e mulheres.”
Sem dúvida alguma, uma obra singular, que não poderá faltar àqueles que se dedicam à preservação de nosso patrimônio cultural e ao fomento de nossas cidades históricas reconhecidas como patrimônio da humanidade.
Sobre o autor
Fernando Fernandes da Silva é advogado, mestre em Direito Internacional pela Universidade de São Paulo (USP), professor de Direito Internacional do Meio Ambiente no curso de especialização de Direito Ambiental da Faculdade de Saúde Pública da USP/NISAM. Professor de Direito Internacional da Faculdade de Direito de Sorocaba. Realizou pesquisas na sede da UNESCO, em Paris, nos anos de 1994 e 1997, e foi pesquisador bolsista do Instituto Internacional para a Unificação do Direito Privado (UNIDROIT), em Roma, no ano de 1999. No período de 2001 a 2002 foi bolsista do Fundo Ryoichi Sasakawa/USP para a realização de pesquisas sobre a proteção dos bens culturais.
Ficha Técnica

Título: AS CIDADES BRASILEIRAS E O PATRIMÔNIO CULTURAL DA HUMANIDADE
Autor:Fernando Fernandes da Silva
Editora Peirópolis e Edusp – 2003

+info>> paulomoura@webcable.com.br (mailto:paulomoura@webcable.com.br)

IAB - RS

Por: Diretoria Instituto de Arquitetos do Brasil - IAB

Outras Notícias

Documentário “Vozes da arquitetura Porto Alegrense” encerra programação de aniversário do IAB RS

O último dia da programação especial que comemorou os 76 anos do IAB RS foi marcado pela exibição do documentário “Vozes da Arquitetura Porto Alegrense”. O filme, produzido pela entidade com apoio institucional do CAU/RS, reuniu depoimentos de 19 profissionais, que falaram sobre a profissão e suas percepções envolvendo aspectos como criatividade, coletividade e outros significados. Além da exibição, foram anunciados dois editais de cultura. 

Leia Mais →

NOTA PÚBLICA

As entidades Associação dos Técnicos de Nível Superior de Porto Alegre (Astec), Instituto de Arquitetos do Brasil – Depto Rio Grande do Sul (IAB RS), Instituto Brasileiro de Direito Urbanístico (IBDU), ONG Acesso Cidadania e Direitos Humanos e Sociedade de Economia do Rio Grande do Sul (SOCECON) entraram com ação ordinária a fim de denunciar irregularidades identificadas no edital e processo eleitoral do Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano e Ambiental – Biênio 2024/2025. 

Leia Mais →

Desafios do planejamento urbano e gestão em Porto Alegre foram temas de debate no IAB RS

A relação envolvendo o setor imobiliário e a administração pública na Capital, bem como os desdobramentos da revisão do Plano Diretor e as eleições para o Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano e Ambiental (CMDUA), foram alguns dos tópicos abordados no debate “Planejamento Urbano e Gestão: desafios atuais e perspectivas futuras para Porto Alegre”, que ocorreu no dia 28 de março na sede do IAB RS, em Porto Alegre.

Leia Mais →

Outras Notícias

Arquiteta Enilda Ribeiro é homenageada em evento do IAB RS

Para comemorar os 76 anos do Instituto de Arquitetos do Brasil – Departamento Rio Grande do Sul (IAB RS), a entidade planejou uma série com três eventos especiais para debater a profissão, relembrar a história e preservar memórias. Na primeira atividade, a palestra “Acervos em arquitetura e urbanismo – homenagem a Enilda Ribeiro” promoveu o encontro entre o professor da FAUUSP e coordenador da biblioteca da FAUUSP, Eduardo Costa; o membro do conselho consultivo do Centro de Memória CAU/RS, José Daniel Simões; e a copresidente do IAB RS e responsável pelo projeto documental, Bruna Tavares. 

Leia Mais →

IAB RS participa do painel RS Seguro COMunidade no South Summit

A copresidente Clarice Oliveira falou sobre a importância dos Concursos Públicos de Projeto e dos processos participativos que o IAB RS vem implantando junto ao governo do Estado. Durante sua fala, destacou que “o IAB RS desenvolve concursos de projeto urbanístico integrai que tem como um pilar muito importante a participação da comunidade no processo inicial de elaboração do programa de necessidades, que vai constituir as bases do concurso público de projetos”.

Leia Mais →

Arquiteta Enilda Ribeiro é destaque na coluna Almanaque, da Zero Hora

Enilda foi uma das primeiras mulheres a ser diplomada no curso específico em Arquitetura no Rio Grande do Sul. Além e ter lutado pela criação do curso superior de graduação na URFGS, foi presidente do IAB/RS entre 1980 e 1981. “Eu gostaria muito de ter conversado, em algum momento, com ela sobre os desafios que foram enfrentados, tanto no IAB-RS quanto em nível nacional, onde ela articulou a construção de ideias e diretrizes para a formação de um conselho próprio de arquitetura e urbanismo”, declarou a co-presidente do IAB/RS, Bruna Tavares.

Leia Mais →