Receba Newsletter

Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!

Exposições de Artes Visuais no IAB RS

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Na última quarta-feira (15/08) o Instituto de Arquitetos do Brasil  (IAB RS) abriu três exposições selecionadas em edital, que integram o segundo ciclo de artes visuais da Galeria Espaço IAB em 2018. O coquetel de abertura reuniu diversos artistas da capital em noite de confraternização no Solar do IAB (Rua General Canabarro 363). A visitação da mostra é gratuita e permanece até o dia 14 de setembro de 2018, das 13h30 às 18h00, de segunda à sexta-feira. Confira abaixo mais detalhes dos expositores:

 

Núcleo de Arte Impressa / Instituto de Artes – UFRGS
O Núcleo de Arte Impressa é um grupo de pesquisa e extensão do Instituto de Artes da UFRGS, formado por Amanda Charão, Ana Paula Pollock, Ário Gonçalves, Arnaldo Drummond, Bruno Tamboreno, Caroline Veilson, Jorge Rico, Julia Moreira, Maria Galant e Sara Winckelmann. Helena Kanaan (org.) . A proposta é investigar através da prática reflexiva diferentes modos de gravar e de imprimir imagens. Transferências que possibilitam e problematizam o múltiplo buscando diferenças. O grupo, através da extensão, recebe artistas, professores e críticos organizando cursos, palestras e workshops abertos à comunidade. Litografia, silckscreen, monotipia, frotagem, carimbo, xilogravura, litowaterless e photolitografia nos levam a uma compreensão da história e da contemporaneidade da arte impressa Helena Kanaan – coordenadora do NAI.

 

ALICE – Um diálogo Gráfico
Alice Till, Fernando Piccoli e Gus Bozzetti

 

Em tempos em que a tolerância e a empatia parecem valer pouco, o diálogo é a única maneira de reverter esse processo. É a partir daí que se desenrola o trabalho de Alice Till, Fernando Piccoli e Gus Bozzetti. Construído aos poucos, em que cada um dos envolvidos tinha uma história a contar e um caminho a ser desvendado em conjunto. Nas fotos em preto e branco, feitas em câmera analógica, Fernando nos apresenta suas inquietações e desejos. Pela lente, ele conta essas histórias para Alice, que responde em poses, gestos e desafios. Nas fotos impressas os dois convidam Gus a se juntar à conversa. Ele entra cheio de argumentos em forma de cores, riscos e palavras. A partir daí o que se deu foi um bate-papo. Uma troca de idéias visual. Um diálogo gráfico. A cada traço ou pincelada, a foto respondia. Gus sabia o que Fernando e Alice estavam dizendo e retrucava com um punhado de dourado ou concordava com palavras que apareciam em negro ou vermelho. O que se percebe nesse trabalho é que existe uma grande vontade de fazer junto, de criar a várias mãos, de entender os limites do outro e conhecer os seus próprios. Uma capacidade de acreditar no outro e dar espaço para suas histórias. Quando olhamos para o conjunto da obra, estão ali os seus heróis e seus vilões, seus caminhos e seus desvios, seus amores e seus medos. Estão ali, Gus, Alice e Fernando. Às vezes conversando, às vezes discutindo. Mas estão ali, contando suas histórias. 

Cartas para o futuro
Anaurelino Barros Neto


A exposição Cartas para o Futuro de Anaurelino Barros Neto na Galeria Espaço IAB apresenta-se como um desdobramento da exposição Anthropos, realizada pelo artista NA Galeria Duque, vizinha ao IAB, no ano de 2017. Seu trabalho procura instigar o visitante e interagir com “documentos deixados para as futuras civilizações”, caso a nossa deixe de existir. Nessa perspectiva, a série Anthropos busca fazer uma análise da origem do processo civilizatório do Homem, através de diversos trabalhos em técnica mista sobre papéis colados rasgados e telas, se utilizando de distintos materiais como tinta acrílica, folha de ouro e pastel.

::
Galeria Espaço IAB
Galeria de Arte do Instituto de Arquitetos do Brasil
Solar do IAB. Rua Gal. Canabarro, 363
Centro Histórico. Porto Alegre, RS. Brasil
(51) 3212 2552.  www.iabrs.org.br

IAB - RS

Por: Diretoria Instituto de Arquitetos do Brasil - IAB

Outras Notícias

Nota pública: Suspensão da urbanização da Fazenda do Arado

A fazenda do Arado é patrimônio ambiental, arqueológico, histórico, cultural, arquitetônico e paisagístico de Porto Alegre, constituindo-se de uma zona primordial para manutenção de espécies da fauna e da flora, sujeita a enchentes e alagamentos por encontrar-se abaixo da cota de inundação do Guaíba. A zona serve como espaço de extravasamento natural do Guaíba, importante de ser preservado. O IAB RS reitera a necessidade de atenção máxima por parte dos governantes, sociedade civil, entidades e instituições às questões ambientais e suas relações com a cidade.

Leia Mais →

Na mídia: IAB RS participa de reportagem da Folha de São Paulo sobre reconstrução do RS

A copresidente do IAB RS, Clarice Misoczky de Oliveira, concedeu entrevista para reportagem da Folha de São Paulo. O ponto central foi a reconstrução do RS. “A questão habitacional é mais dramática. Há municípios no Vale do Taquari, como Muçum e Roca Sales, que se desenvolveram em áreas de encostas. Cidades como Santa Tereza em que parte das casas estão em áreas de inundações. Precisamos construir com segurança”, disse.

Leia Mais →

MANIFESTO IAB RS PARA A RECONSTRUÇÃO DO RS

Considerando a enorme tragédia causada pelos efeitos da crise climática e pelo descaso do poder público com o planejamento urbano e regional sustentável na promoção de cidades justas, igualitárias e ecologicamente  equilibradas, a Comissão Cidades/IAB RS, por meio deste, manifesta a necessidade de atenção às questões referentes às diferentes escalas de planejamento, arquitetura e urbanismo para reconstrução das cidades do Rio Grande do Sul, aqui agrupadas em dois grandes grupos: (A) Planejamento Urbano e Regional e (B) Moradia Digna.

Leia Mais →

Outras Notícias

COMUNICADO DO IAB RS SOBRE O ESTADO DE CALAMIDADE CLIMÁTICA

O momento é grave e compreendemos que enquanto Instituto temos um trabalho de articulação de impacto a médio prazo, sendo provocadas e estruturadas redes que auxiliem nas questões habitacionais e de reestruturação das cidades, com projetos que considerem os riscos e impactos que os eventos climáticos tem gerado em nossas cidades, de modo mais frequente e de maior intensidade. Compreendendo a sensibilidade das questões ambientais, com a natureza impondo seus limites, frente às ocupações urbanas.

Leia Mais →