Receba Newsletter

Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!

Gilson Paranhos palestrou sobre Concursos Públicos

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Na última quarta-feira (08/10) o evento Quarta no IAB teve como tema as "Licitações Públicas para a Arquitetura e Urbanismo". Participaram como palestrante o arquiteto Gilson Paranhos, do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do RS, que falou sobre concursos; o advogado Armênio de Oliveira Santos, especialista em direito público; e Andrea Malmann, diretora de Controle e Fiscalização do Tribunal de Contas do RS.
Para o arquiteto Gilson Paranhos, do CAU BR, que palestrou sobre Concursos Públicos, ainda existe uma falta de informação sobre o tema. “Temos hoje a lei 8666 de 1983 que está em alteração no Congresso”.  Ele explicou que a questão do conceito projeto básico, por exemplo, quando lemos é o suficiente para fazer uma obra, mas a palavra básico, faz com que isso não aconteça nas obras. “Na alteração da lei muda para projeto completo. O IAB e CAU não estão fazendo isso sozinho. Muita gente disse que os empreiteiros não irão aprovar, mas em SP eles estão de acordo, porque até para eles isso tá sendo interesse, porque está complicando para fazer as obras”, destacou Gilson. 
Gilson também falou da questão da melhoria das obras públicas, que para ele é uma questão cultural. “São anos de trabalhos equivocados”, criticou. Como exemplo, ele citou que mais de 50% dos aeroportos foram feitos pela mesma empreiteira, como de Curitiba, SP e RJ.  “ Isso ocorre porque a lei trata de uma apresentação de documentos, com um equívoco total.  O que são apresentados são papeis escritos (CAT) certidão de acervo técnico, mas quem faz as obras são terceirizados. O parceiro técnico da empresa é uma mentira, o que temos é o parceiro técnico do profissional”, alertou.  “A gente contrata a empresa sem saber o que está contratando. O que temos que analisar são os projetos feitos hoje. Por isso defendemos o concurso público que analisa o objeto, o que está feito”, complementou. Para ele as nossas licitações são demoradas e caras. O que aconteceu com a RDC hoje é um equívoco total, com prazo e demais processos. "Mas o CAU está fazendo todo um detalhamento, principalmente nas obras do DNIT e INFRAERO”, destacou Paranhos.

Confira outras observações de Gilson Paranhos:

“No Brasil teríamos que flexibilizar diversos tipos de concurso, mas a gente não consegue. Muitos dizem que os arquitetos vão aumentar o preço do projeto, mas hoje existe uma tabela reconhecida no país todo”.
“Um profissional sério não entra numa licitação para colocar o nome dele em risco”.
“O problema nasce na contratação, no ponto de vista da qualidade dos projetos. Tanto na RDC quanto na 8666 temos avaliações de documentos. No momento que o concurso é lançado o profissional já começa a trabalhar. Só que hoje, como não existe concurso no Brasil, entra 700 participantes, porque temos somente 20 e 30 concurso por ano.  A avaliação antes do Contrato é essencial, isso faria toda a diferença e o restante é consequência”.
IAB - RS

Por: Diretoria Instituto de Arquitetos do Brasil - IAB

Outras Notícias

Documentário “Vozes da arquitetura Porto Alegrense” encerra programação de aniversário do IAB RS

O último dia da programação especial que comemorou os 76 anos do IAB RS foi marcado pela exibição do documentário “Vozes da Arquitetura Porto Alegrense”. O filme, produzido pela entidade com apoio institucional do CAU/RS, reuniu depoimentos de 19 profissionais, que falaram sobre a profissão e suas percepções envolvendo aspectos como criatividade, coletividade e outros significados. Além da exibição, foram anunciados dois editais de cultura. 

Leia Mais →

NOTA PÚBLICA

As entidades Associação dos Técnicos de Nível Superior de Porto Alegre (Astec), Instituto de Arquitetos do Brasil – Depto Rio Grande do Sul (IAB RS), Instituto Brasileiro de Direito Urbanístico (IBDU), ONG Acesso Cidadania e Direitos Humanos e Sociedade de Economia do Rio Grande do Sul (SOCECON) entraram com ação ordinária a fim de denunciar irregularidades identificadas no edital e processo eleitoral do Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano e Ambiental – Biênio 2024/2025. 

Leia Mais →

Desafios do planejamento urbano e gestão em Porto Alegre foram temas de debate no IAB RS

A relação envolvendo o setor imobiliário e a administração pública na Capital, bem como os desdobramentos da revisão do Plano Diretor e as eleições para o Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano e Ambiental (CMDUA), foram alguns dos tópicos abordados no debate “Planejamento Urbano e Gestão: desafios atuais e perspectivas futuras para Porto Alegre”, que ocorreu no dia 28 de março na sede do IAB RS, em Porto Alegre.

Leia Mais →

Outras Notícias

Arquiteta Enilda Ribeiro é homenageada em evento do IAB RS

Para comemorar os 76 anos do Instituto de Arquitetos do Brasil – Departamento Rio Grande do Sul (IAB RS), a entidade planejou uma série com três eventos especiais para debater a profissão, relembrar a história e preservar memórias. Na primeira atividade, a palestra “Acervos em arquitetura e urbanismo – homenagem a Enilda Ribeiro” promoveu o encontro entre o professor da FAUUSP e coordenador da biblioteca da FAUUSP, Eduardo Costa; o membro do conselho consultivo do Centro de Memória CAU/RS, José Daniel Simões; e a copresidente do IAB RS e responsável pelo projeto documental, Bruna Tavares. 

Leia Mais →

IAB RS participa do painel RS Seguro COMunidade no South Summit

A copresidente Clarice Oliveira falou sobre a importância dos Concursos Públicos de Projeto e dos processos participativos que o IAB RS vem implantando junto ao governo do Estado. Durante sua fala, destacou que “o IAB RS desenvolve concursos de projeto urbanístico integrai que tem como um pilar muito importante a participação da comunidade no processo inicial de elaboração do programa de necessidades, que vai constituir as bases do concurso público de projetos”.

Leia Mais →

Arquiteta Enilda Ribeiro é destaque na coluna Almanaque, da Zero Hora

Enilda foi uma das primeiras mulheres a ser diplomada no curso específico em Arquitetura no Rio Grande do Sul. Além e ter lutado pela criação do curso superior de graduação na URFGS, foi presidente do IAB/RS entre 1980 e 1981. “Eu gostaria muito de ter conversado, em algum momento, com ela sobre os desafios que foram enfrentados, tanto no IAB-RS quanto em nível nacional, onde ela articulou a construção de ideias e diretrizes para a formação de um conselho próprio de arquitetura e urbanismo”, declarou a co-presidente do IAB/RS, Bruna Tavares.

Leia Mais →