Receba Newsletter

Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!

IAB intervem em concurso considerado polêmico

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

O Concurso Nacional de Idéias para a Fachada do Centro Empresarial Século 21 provocou polêmica entre os arquitetos por não se enquadrar nas regras principais dos concursos. Ao tomar conhecimento do concurso, o IAB Nacional prontamente articulou-se para identificar o problema, a fim de torná-lo adequado às regras nacionais. Leia abaixo o comunicado do coordenador do concurso, arquiteto Abraão Dahis, contendo as alterações realizadas no regulamento: Concurso Nacional de Idéias para a Fachada do Centro Empresarial Século 21 Prezados Participantes, Dando prosseguimento ao comunicado anterior, vimos explicar as razões que levaram ao atraso no julgamento do concurso supra, bem como apresentar as alterações exigidas, acordadas entre a Paskin Engenharia e o IAB Instituto dos Arquitetos do Brasil, ora efetuadas por nós no Edital. Em 28 de março último, dia em que finalizava-se o prazo para entrega dos trabalhos para o concurso, fomos surpreendidos com uma Notificação Extrajudicial, registrada no 3º Ofício de Registro de Títulos e Documentos, encaminhada pelo IAB – Instituto dos Arquitetos do Brasil, assinada pelos respectivos presidentes arquitetos: Demetre Basile Anastassakis da Direção Nacional, e arquiteto Jerônimo Moraes Neto, do Departamento da entidade no Rio de Janeiro, no sentido de que suspendêssemos e de toda a forma nos abstenhássemos de promover o “assim denominado Concurso Nacional de Idéias para a Fachada do Centro Empresarial Século 21″… até quando ajustadas as condutas…etc…etc…, que foram devidamente acertadas em reunião ocorrida em 07 de abril de 2005, na sede do IAB-RJ, na presença dos arquitetos Fernando Alencar, diretor cultural do IAB Nacional, Jeronimo de Moraes Neto, presidente do IAB-RJ, Fernando Gatto, diretor (licenciado) do IAB-RJ, Abraão Dahis, diretor-presidente da Espaço e Expressão empresa promotora e do engenheiro civil, José Paskin, diretor-presidente da Paskin Engenharia, empresa responsável pelo empreendimento. Informamos que recebemos o expressivo número de 233 (duzentas e trinta e três) inscrições com participantes profissionais e estudantes de inúmeros estados brasileiros e inclusive, com dois arquitetos da Itália. A Paskin Engenharia consciente e interessada em não prejudicar os participantes e, diante das condutas exigidas ora sob orientação severa do IAB, resolveu rever o edital do concurso e solicitar a Espaço e Expressão estipular as seguintes alterações abaixo enumeradas: 1 – O Concurso passará a ser dividido em duas categorias sendo uma para premiar as três melhores idéias de profissionais e outra em separado para a melhor idéia de estudantes. 2 – Para realizar tal divisão, todos os envelopes de trabalhos entregues à Espaço e Expressão, coordenadora do evento, foram enviados no dia 17 de maio de 2005, como estão, devidamente lacrados, ao escritório Coutinho Diegues Cordeiro Arquitetos ltda, do arquiteto Anibal Coutinho, também presidente da ASBEA – Associação Brasileira de Escritórios de Arquitetura, contratado para como nome de idoneidade indiscutível, ser o responsável pela abertura dos mesmos, identificação e separação pelas categorias Estudante e Profissional, bem como sua re-embalagem, re-lacragem e devolução dos mesmos de forma a manterem-se intactos o sigilo e a não identificação dos seus autores. Estamos aguardando desde então a efetivação do trabalho. 3 – Os prêmios da categoria Profissional permanecem os mesmos: R$ 5.000,00 – Primeiro lugar, R$ 3.500,00 – Segundo lugar e R$ 1.500,00 – Terceiro lugar.
4 – A idéia vencedora da categoria Estudante, receberá uma única premiação de R$ 1.500,00 além da exposição do autor e de seu trabalho a nível nacional.
5 – Mantém-se pela Paskin Engenharia a prerrogativa de desenvolvimento ou não da idéia escolhida vencedora do concurso pelo juri, bem como da escolha de uma das idéias da categoria Profissional apresentadas. Não poderá ser utilizada nenhuma das idéias apresentadas na categoria Estudante.
6 – O autor da idéia vencedora escolhida pelos jurados na categoria Profissional poderá vir a ser ou não, contratado pela Construtora para desenvolvimento a nível de Projeto de Execução, pelo preço ora estipulado de R$ 2.500,00 ou caso não aceite esta proposta, será remunerado pela concepção inicial e direito autoral em R$ 1.000,00 autorizando assim a Paskin Engenharia a desenvolver sua idéia com terceiros.
7 – A Paskin Engenharia a seu exclusivo critério, poderá contratar um dos demais profissionais autores participantes e desenvolver sua respectiva idéia ao preço de R$ 2.500,00, ou caso não aceite esta proposta, este será remunerado pela concepção inicial e direito autoral em R$ 1.000,00 autorizando assim a Paskin Engenharia a desenvolver sua idéia com terceiros, mesmo que esta não tenha sido a eleita vencedora do concurso pelo júri.
8 – Solicitamos que cada participante caso não concorde com o acima estipulado, se manifeste por escrito ao prazo de até 7 (sete) dias corridos a contar do recebimento deste. Neste caso, orientamos para que o autor retire seu trabalho do grupo pertinente antes do julgamento do concurso que se realizará no dia 11/06/2005. A divulgação do resultado se fará no dia 15/06/2005, quarta-feira, através do site da Espaço e Expressão. ( www.plantabaixa.com (http://www.plantabaixa.com/) )
9 – A Paskin Engenharia reserva-se no direito de inutilizar todas os trabalhos que não forem retirados após o concurso até o prazo máximo de 15 dias corridos da divulgação dos resultados.
Tendo então sido devidamente expressas as alterações no edital do concurso e, tendo as mesmas sido previamente encaminhadas e aprovadas pela Paskin Engenharia e principalmente pelo IAB, Instituto dos Arquitetos do Brasil, ora de acordo, subscrevemo-nos.
Sem mais no momento,
atenciosamente,
Arquiteto Abraão Dahis
Coordenador do Concurso Espaço e Expressão
www.plantabaixa.com (http://www.plantabaixa.com/)

IAB - RS

Por: Diretoria Instituto de Arquitetos do Brasil - IAB

Outras Notícias

Nota pública: Suspensão da urbanização da Fazenda do Arado

A fazenda do Arado é patrimônio ambiental, arqueológico, histórico, cultural, arquitetônico e paisagístico de Porto Alegre, constituindo-se de uma zona primordial para manutenção de espécies da fauna e da flora, sujeita a enchentes e alagamentos por encontrar-se abaixo da cota de inundação do Guaíba. A zona serve como espaço de extravasamento natural do Guaíba, importante de ser preservado. O IAB RS reitera a necessidade de atenção máxima por parte dos governantes, sociedade civil, entidades e instituições às questões ambientais e suas relações com a cidade.

Leia Mais →

Na mídia: IAB RS participa de reportagem da Folha de São Paulo sobre reconstrução do RS

A copresidente do IAB RS, Clarice Misoczky de Oliveira, concedeu entrevista para reportagem da Folha de São Paulo. O ponto central foi a reconstrução do RS. “A questão habitacional é mais dramática. Há municípios no Vale do Taquari, como Muçum e Roca Sales, que se desenvolveram em áreas de encostas. Cidades como Santa Tereza em que parte das casas estão em áreas de inundações. Precisamos construir com segurança”, disse.

Leia Mais →

MANIFESTO IAB RS PARA A RECONSTRUÇÃO DO RS

Considerando a enorme tragédia causada pelos efeitos da crise climática e pelo descaso do poder público com o planejamento urbano e regional sustentável na promoção de cidades justas, igualitárias e ecologicamente  equilibradas, a Comissão Cidades/IAB RS, por meio deste, manifesta a necessidade de atenção às questões referentes às diferentes escalas de planejamento, arquitetura e urbanismo para reconstrução das cidades do Rio Grande do Sul, aqui agrupadas em dois grandes grupos: (A) Planejamento Urbano e Regional e (B) Moradia Digna.

Leia Mais →

Outras Notícias

COMUNICADO DO IAB RS SOBRE O ESTADO DE CALAMIDADE CLIMÁTICA

O momento é grave e compreendemos que enquanto Instituto temos um trabalho de articulação de impacto a médio prazo, sendo provocadas e estruturadas redes que auxiliem nas questões habitacionais e de reestruturação das cidades, com projetos que considerem os riscos e impactos que os eventos climáticos tem gerado em nossas cidades, de modo mais frequente e de maior intensidade. Compreendendo a sensibilidade das questões ambientais, com a natureza impondo seus limites, frente às ocupações urbanas.

Leia Mais →