Receba Newsletter

Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!

Ministério Público de Contas de Porto Alegre recebe denúncia de entidades sobre leis que envolvem planejamento urbano

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

O Ministério Público de Contas de Porto Alegre recebeu uma denúncia de entidades da sociedade civil relacionada a três leis municipais: Lei do Centro (930/2021), Lei do Arado (935/2022) e Lei de Regeneração do 4º Distrito (960/2022). De acordo com o documento, existe falta de conformidade com princípios legais, ausência de estudos econômicos e de medidas que possam preservar áreas históricas e culturais, bem como concessão de benefícios sem especificar os critérios adotados.

Estiveram presentes o advogado e assessor da Deputada Estadual Sofia Cavendon, Rosalino Mello; o representante do Forum RGP1, Felisberto Seabra Luisi; a representante da ONG Acesso – Cidadania e Direitos Humano, Claudete Simas; a co-presidente do Instituto de Arquitetos do Brasil – Departamento Rio Grande do Sul (IAB-RS), Clarice Misoczky de Oliveira; a representante do Atua POA, Maria Dalila Bohrer; e o presidente da Sociedade de Economia do Rio Grande do Sul (SOCECON), Mark Ramos Kuschick.

Participaram da formulação do documento as seguintes entidades: Acesso Cidadania e Direitos Humanos, Agência Livre para Informação, Cidadania e Educação, Articulação para o Monitoramento dos Direitos Humanos no Brasil, ATUA POA – Pelo direito à cidade de todxs nós!, CDES Direitos Humanos (Centro de Direitos Econômicos e Sociais), Coletivo Cais Cultural Já, Federação Nacional dos Arquitetos e Urbanistas (FNA), Fórum de Planejamento – RGP1, Instituto Brasileiro De Direito Urbanístico (IBDU), Instituto Gaúcho de Estudos Ambientais (Ingá), Instituto Zoravia Bettiol, Instituto dos Arquitetos do Brasil – Departamento RS (IAB-RS), Observatório das Metrópoles – Núcleo Porto Alegre, Preserva Belém Novo, Sindicato dos Arquitetos do Rio Grande do Sul (SAERGS), Sindicato dos Economistas do Rio Grande do Sul (SINDECON), e Sociedade De Economia do Rio Grande do Sul (SOCECON).

Os representantes das entidades, em documento entregue ao procurador-geral Geraldo da Camino, destacaram que as leis podem favorecer interesses privados em detrimento do interesse público. A denúncia está relacionada a preocupações sobre o planejamento urbano responsável e os direitos humanos, com conexão a uma denúncia à ONU sobre a falta de moradia adequada no 4º Distrito da cidade. O Ministério Público de Contas investigará as alegações e tomará as medidas necessárias conforme a lei.

Foram identificados 35 pontos de flexibilização e/ou alterações normativas consideradas prejudiciais ao Plano Diretor, a Lei Orgânica de Porto Alegre, à Constituição Federal, e ao Estatuto da Cidade e a própria Constituição Estadual. Entre esses pontos destacam-se: ausência de contrapartidas e medidas compensatória adequadas aos impactos gerados; flexibilizações indígenas, não motivadas, sem critérios técnicos para afastamento dos mecanismos previstos no Plano Diretor nos processos de licenciamento; aplicação subsidiária do Plano Diretor, em flagrante violação à Lei (LC 434/99), que deve ser a base legal do programa +4D; ausência de ações obrigatórias de contrapartida dos interessados, que já recebem benefícios com a flexibilização da lei; afastamento das competências técnicas da Comissão de Análise Urbanística e Gerenciamento (CAUGE) e do Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano Ambiental (CMDUA); indefinição sobre a gestão dos eventuais recursos advindos dos programas aprovadas (Fazenda do Arado, Centro Histórico e +4D); e ausência de definição das fontes de recursos para as intervenções e obras previstas nos programas.

A co-presidente do IAB-RS, Clarice Misoczky de Oliveira, destaca que “a nossa preocupação é com o desmonte do planejamento urbano, uma vez que Plano Diretor está sendo desenhado nos moldes das leis denunciadas, definidas sem participação popular em todas as etapas. O interesse público fica comprometido quando as regras não são estabelecidas com antecedência, e sim depois, conforme interesses de grupos específicos”, disse.

Em 2021, o IAB-RS emitiu um relatório técnico sobre o Projeto de Lei Complementar 023/21, que trata do Programa de Reabilitação do Centro Histórico. O documento elaborado apresentou uma análise crítica sobre a proposta da Prefeitura e as iniciativas para o centro de Porto Alegre. Entre outros pontos, a entidade, na época sob a gestão de Rafael Passos, mencionava a falta de debate público e um plano que priorizava o embelezamento do Centro Histórico, e não a sua reestruturação, além de privilegiar o setor da construção civil a partir da flexibilização de regras para construções na região.

IAB - RS

Por: Diretoria Instituto de Arquitetos do Brasil - IAB

Outras Notícias

IAB RS retoma editais de cultura

Após uma pausa por conta das enchentes que assolaram o Rio Grande do Sul, o IAB RS está pronto para a retomada dos editais de cultura. Os contemplados no Edital Galeria Espaço IAB e no Edital de Ocupação Artístico-Cultural serão divulgados na próxima quarta-feira, 10 de julho.

Leia Mais →

Exposição “Portugal, 50 anos da Revolução dos Cravos” reabre no IAB RS

Em virtude dos efeitos da crise climática que se abateu sobre Porto Alegre e Rio Grande do Sul, a visitação da exposição “Portugal, 50 anos da Revolução dos Cravos”, inaugurada no dia 25 de abril no IAB RS, foi interrompida. A iniciativa foi reaberta no dia 3 de julho, e segue em cartaz até 31 de julho, com visitação disponível de segunda à sexta, das 10h às 12h, e das 14h30 às 17h30.

Leia Mais →

Nota de falecimento: Emil Bered

Faleceu hoje, 2 de julho, em Porto Alegre, o arquiteto e ex-presidente do IAB RS Emil Bered. As homenagens serão realizadas na capela 3 do Crematório Metropolitano, em Porto Alegre, a partir das 12h, e a cremação será às 17h.

Leia Mais →

IAB relembra manifesto contra A LGBTQIA+fobia

No encerramento do mês do orgulho LGBTQIA+, rememoramos o manifesto lançado há quatro anos pelo Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), elaborado pelos arquitetos Natan Arend, Igor Vetyemy e Luiz Sarmento. O IAB reitera seu firme compromisso com a defesa da diferença, da liberdade e dos direitos da comunidade LGBTQIA+. Em 28 de junho, celebra-se o Dia de Luta contra a LGBTQIA+fobia, data que evoca a Revolta de Stonewall em 1969, marco inicial na resistência contra décadas de opressão e criminalização policial da comunidade LGBTQIA+.

Leia Mais →

Outras Notícias

Nota pública: Suspensão da urbanização da Fazenda do Arado

A fazenda do Arado é patrimônio ambiental, arqueológico, histórico, cultural, arquitetônico e paisagístico de Porto Alegre, constituindo-se de uma zona primordial para manutenção de espécies da fauna e da flora, sujeita a enchentes e alagamentos por encontrar-se abaixo da cota de inundação do Guaíba. A zona serve como espaço de extravasamento natural do Guaíba, importante de ser preservado. O IAB RS reitera a necessidade de atenção máxima por parte dos governantes, sociedade civil, entidades e instituições às questões ambientais e suas relações com a cidade.

Leia Mais →