Receba Newsletter

Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!

Núcleo Hortênsias do IAB/RS participa de encontro com o governador para falar sobre o Parque do Palácio

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Crédito: Assessoria de imprensa Governo do Estado.

 

Na ocasião, o grupo entregou um relatório preliminar de impacto no meio ambiente

 

 

O tradicional Parque do Palácio, em Canela, na Serra Gaúcha, vem sendo tema de debates entre a prefeitura e entidades ligadas ao urbanismo e ao meio ambiente. A discussão retoma uma pauta antiga, que trata sobre a construção de um centro de eventos dentro do local, afetando importantes biomas que compõem a região. O núcleo Hortênsias do Instituto de Arquitetos do Brasil – Departamento Rio Grande do Sul (IAB/RS), comunidade e autoridades participaram de uma audiência com o governador do Estado, Eduardo Leite, para solicitar maior atenção para o debate e apresentar um estudo ambiental.

De acordo com proposta protocolada na Casa Legislativa, a justificativa do projeto da prefeitura parte da doação do Parque por parte do Estado em 2010. Na época, sob o governo de Yeda Crusius, essa doação teria como contrapartida a construção de um centro de eventos, e caso não fosse feita, voltaria ao poder do Estado.

O vice-presidente do Núcleo Hortênsias do IAB/RS, Márcio Ribas, aponta que a obra teria um impacto muito grande no meio ambiente. “A prefeitura nunca apresentou nenhum estudo ambiental, social, cultural ou econômico. A partir do nosso interesse e da comunidade em preservar o uso do parque, fomos contrários. Estamos propondo um estudo de viabilidade que ampare a questão ambiental, dando voz para a comunidade, que há 10 anos é contrária e está combatendo essa vontade do poder público”, conta.

O Parque do Palácio reúne os três principais biomas que compõem a Serra Gaúcha: os Campos de Cima da Serra, a Mata Atlântica e a Floresta de Araucárias. Diante deste contexto único, o grupo deixou exposto ao governador que a área cedida pelo Estado ao município merece mais atenção por parte do poder estadual e, diante dos últimos acontecimentos envolvendo a gestão pública municipal, essa também deve se manifestar quanto a importância deste patrimônio natural e histórico. Ainda, destacaram o seu potencial estratégico para o desenvolvimento do ecoturismo e bem estar sociocultural da população de Canela.

Conforme explica Ribas, a reunião serviu ainda para mostrar todo o histórico do movimento feito por diversas entidades, como o IAB/RS, e um estudo ambiental preliminar realizado no local. “O propósito foi destacar esse estudo, que contempla os âmbitos ambiental e urbanístico, com o objetivo de desenvolver um projeto alternativo de parque com lazer, natureza e cultura, junto ao poder público estadual”, conta. O estudo será apresentado, também, para o poder municipal.

Ribas destaca que há uma percepção por parte do governador de que a área precisa de atenção do poder público, e que o seu uso seja destinado à população, sem restrições e interferências no meio ambiente. “A área ainda está cedida para a cidade de Canela, e acreditamos que, pelo que foi falado, o interesse seja manter a área do parque para o município. Temos consciência de que o governador entendeu o sentido do parque, até porque lá está sediada a casa de verão do governador, é uma área de uso para o estado, e ele entende que é preciso um uso mais cauteloso”, afirma. Ele ressalta, ainda, que “o arquiteto Marcio Carvalho foi fundamental na articulação e diálogo com entidades e governos na formatação desse documento”.

Os próximos passos são pensados em uma forma de gestão de viabilidade, com a realização de novos estudos. “Entendemos que precisamos aprofundar e criar um sentido maior para o parque, além de capacitar e conscientizar a comunidade e os vereadores de que a área é muito importante”, finaliza.

Entidades como Amigos do Parque, Amigos das Araucárias, Conselho Municipal de Cultura e Associação Comercial e Industrial de Canela (CIC), Movimento Ambientalista da Região das Hortênsias e membros da sociedade civil apoiam o movimento. As faculdades de Arquitetura da Universidade de Caxias do Sul (UCS) e da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS) estão com as disciplinas de planejamento urbano e territorial trabalhando sobre a área do Parque do Palácio.

 

IAB - RS

Por: Diretoria Instituto de Arquitetos do Brasil - IAB

Outras Notícias

IAB RS retoma editais de cultura

Após uma pausa por conta das enchentes que assolaram o Rio Grande do Sul, o IAB RS está pronto para a retomada dos editais de cultura. Os contemplados no Edital Galeria Espaço IAB e no Edital de Ocupação Artístico-Cultural serão divulgados na próxima quarta-feira, 10 de julho.

Leia Mais →

Exposição “Portugal, 50 anos da Revolução dos Cravos” reabre no IAB RS

Em virtude dos efeitos da crise climática que se abateu sobre Porto Alegre e Rio Grande do Sul, a visitação da exposição “Portugal, 50 anos da Revolução dos Cravos”, inaugurada no dia 25 de abril no IAB RS, foi interrompida. A iniciativa foi reaberta no dia 3 de julho, e segue em cartaz até 31 de julho, com visitação disponível de segunda à sexta, das 10h às 12h, e das 14h30 às 17h30.

Leia Mais →

Nota de falecimento: Emil Bered

Faleceu hoje, 2 de julho, em Porto Alegre, o arquiteto e ex-presidente do IAB RS Emil Bered. As homenagens serão realizadas na capela 3 do Crematório Metropolitano, em Porto Alegre, a partir das 12h, e a cremação será às 17h.

Leia Mais →

IAB relembra manifesto contra A LGBTQIA+fobia

No encerramento do mês do orgulho LGBTQIA+, rememoramos o manifesto lançado há quatro anos pelo Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), elaborado pelos arquitetos Natan Arend, Igor Vetyemy e Luiz Sarmento. O IAB reitera seu firme compromisso com a defesa da diferença, da liberdade e dos direitos da comunidade LGBTQIA+. Em 28 de junho, celebra-se o Dia de Luta contra a LGBTQIA+fobia, data que evoca a Revolta de Stonewall em 1969, marco inicial na resistência contra décadas de opressão e criminalização policial da comunidade LGBTQIA+.

Leia Mais →

Outras Notícias

Nota pública: Suspensão da urbanização da Fazenda do Arado

A fazenda do Arado é patrimônio ambiental, arqueológico, histórico, cultural, arquitetônico e paisagístico de Porto Alegre, constituindo-se de uma zona primordial para manutenção de espécies da fauna e da flora, sujeita a enchentes e alagamentos por encontrar-se abaixo da cota de inundação do Guaíba. A zona serve como espaço de extravasamento natural do Guaíba, importante de ser preservado. O IAB RS reitera a necessidade de atenção máxima por parte dos governantes, sociedade civil, entidades e instituições às questões ambientais e suas relações com a cidade.

Leia Mais →