Receba Newsletter

Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!

Templo Memorial – Restauração e Reconstrução – livro de Felipe Altermann

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

O estudante de arquitetura Felipe Altermann é autor da obra Templo Memorial – Restauração e Reconstrução , resultado do Projeto de Residência Acadêmica, que teve orientação do professor e arquiteto José Albano Volkmer, presidente do IAB-RS. O livro trata da restauração e reconstrução do Templo da IECLB de Santa Cruz do Sul, abordando desde a história dos templos desta confissão religiosa na cidade até sua arquitetura e processos de restauro. O livro é bilíngüe (em português e alemão), e está à venda em Santa Cruz do Sul e em Porto Alegre, na Livraria do Arquiteto. O lançamento ocorreu no dia 3 de dezembro, em cerimônia oficial no Salão Nobre da Prefeitura Municipal de Santa Cruz do Sul. Leia abaixo um trecho do texto de apresentação do livro, de autoria de José Albano Volkmer. “O Projeto Residência Acadêmica do estudante de arquitetura e urbanismo Felipe Altermann se caracteriza, pois, por uma investigação do processo de intervenção no Templo da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil – IECLB -, no Centro da Cidade de Santa Cruz do Sul, no Estado do Rio Grande do Sul, Brasil. Em especial, o Projeto objetivou a observação, o estudo, o acompanhamento e a elaboração de um livro de registro da história recente do Templo, envolvendo entrevistas, consultas, leituras, estudos e apreciações críticas sobre o processo de restauração deste edifício religioso.
A publicação desta obra, portanto, é o coroamento de um enorme esforço de integração da universidade com a comunidade de Santa Cruz do Sul e, em particular, da Faculdade de Arquitetura da UFRGS com o Templo da IECLB/Centro de Santa Cruz do Sul, numa enriquecedora síntese de processo de indagação acadêmica e de interpretação do processo de salvamento do edifício e das motivações da comunidade confessional e da sociedade local.”
Arq. José Albano Volkmer

IAB - RS

Por: Diretoria Instituto de Arquitetos do Brasil - IAB

Outras Notícias

Nota pública: Suspensão da urbanização da Fazenda do Arado

A fazenda do Arado é patrimônio ambiental, arqueológico, histórico, cultural, arquitetônico e paisagístico de Porto Alegre, constituindo-se de uma zona primordial para manutenção de espécies da fauna e da flora, sujeita a enchentes e alagamentos por encontrar-se abaixo da cota de inundação do Guaíba. A zona serve como espaço de extravasamento natural do Guaíba, importante de ser preservado. O IAB RS reitera a necessidade de atenção máxima por parte dos governantes, sociedade civil, entidades e instituições às questões ambientais e suas relações com a cidade.

Leia Mais →

Na mídia: IAB RS participa de reportagem da Folha de São Paulo sobre reconstrução do RS

A copresidente do IAB RS, Clarice Misoczky de Oliveira, concedeu entrevista para reportagem da Folha de São Paulo. O ponto central foi a reconstrução do RS. “A questão habitacional é mais dramática. Há municípios no Vale do Taquari, como Muçum e Roca Sales, que se desenvolveram em áreas de encostas. Cidades como Santa Tereza em que parte das casas estão em áreas de inundações. Precisamos construir com segurança”, disse.

Leia Mais →

MANIFESTO IAB RS PARA A RECONSTRUÇÃO DO RS

Considerando a enorme tragédia causada pelos efeitos da crise climática e pelo descaso do poder público com o planejamento urbano e regional sustentável na promoção de cidades justas, igualitárias e ecologicamente  equilibradas, a Comissão Cidades/IAB RS, por meio deste, manifesta a necessidade de atenção às questões referentes às diferentes escalas de planejamento, arquitetura e urbanismo para reconstrução das cidades do Rio Grande do Sul, aqui agrupadas em dois grandes grupos: (A) Planejamento Urbano e Regional e (B) Moradia Digna.

Leia Mais →

Outras Notícias

COMUNICADO DO IAB RS SOBRE O ESTADO DE CALAMIDADE CLIMÁTICA

O momento é grave e compreendemos que enquanto Instituto temos um trabalho de articulação de impacto a médio prazo, sendo provocadas e estruturadas redes que auxiliem nas questões habitacionais e de reestruturação das cidades, com projetos que considerem os riscos e impactos que os eventos climáticos tem gerado em nossas cidades, de modo mais frequente e de maior intensidade. Compreendendo a sensibilidade das questões ambientais, com a natureza impondo seus limites, frente às ocupações urbanas.

Leia Mais →