Receba Newsletter

Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!

Debate sobre planejamento urbano deu continuidade ao ciclo Desafios Urbanos

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

João Farias Rovati e Maria Nazareth Hassen foram os convidados da Quarta no IAB que discutiu Planejamento Urbano. O encontro, que ocorreu no dia 13 de novembro, deu continuidade ao ciclo Desafios Urbanos, que está acontecendo desde o início da 2013 para discutir o documento “10 Pontos por um Projeto de Cidade”.
O debate foi pautado pela exibição de um vídeo de 50 minutos, exibido na primeira parte do encontro, em que Carlos Vainer, doutor em Desenvolvimento Econômico e Social pela Universidade de Paris 1, era entrevistado pelo jornalista Juca Kfoury. O programa falava dos impactos de megaeventos nas cidades, usando como exemplo as ações para a Copa do Mundo no Brasil.

Vainer observou que as cidades brasileiras de várias outras partes do mundo estão adotando uma lógica de empresarial, colocando-se no mercado e disputando eventos e turismo. “Uma 'guerra' entre as cidades ocorre para ver quem consegue oferecer mais vantagens, para mudar isso precisamos repensar o papel do Estado”, ele opiniou.
Doutora em Educação, Maria Nazareth Hassen lamnetou a falta de organização dos movimentos de resistência em relação aos processos citados por Vainer, apesar de louvar alguns avanços alcançados em cidades como Porto Alegre. A pesquisadora ainda tratou da questão sob um ponto de vista bastante pessoal, contando aos presentes que experimenta a cidade à pé e de bicicleta, tendo um contato grande com as ruas. Maria Nazareth também afirmou que, apesar das dificuldades impostas para quem pretende modificar o atual quadro urbano, o pior sentimento a se carregar é a resignação, sendo necessario lutar.
Por sua vez, João Farias Rovati, doutor em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de Paris-8, destacou que as críticas de Vainer e de tantos outros pesquisadores em relação às cidades e aos megaeventos expõem um antagonismo entre duas visões de mundo e propostas de atuação política diferentes, muitas vezes até mesmo opostas. Rovati também deixou claro que ser pesquisador é bastante diferente de ser uma autoridade política, por isso tem muito cuidado em não repetir o que muitos colegas fazem, como dizer como os políticos devem fazer sua escolhas.
O debate foi encerrado com a participação de vários presentes, que puderam fazer perguntas e discutir as ideias expostas.
Quarta no IAB tem apoio da Caixa Econômica Federal
.

Por: Diretoria Instituto de Arquitetos do Brasil - IAB

Outras Notícias

Outras Notícias