Receba Newsletter

Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!

Moção do Fórum de Entidades de Arquitetos no Rio Grande do Sul aprovada por unanimidade pelo CAU RS.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Porto alegre, 10 de maio de 2012.

Prezados senhores conselheiros do CAU/RS,

O Fórum de Entidades de Arquitetos no Rio Grande do Sul vêm, por meio desta, manifestar sua inconformidade com o que determina a Resolução 17 do CAU/BR, com relação à cobrança de taxa de RRT por atividades ou mesmo por ”grupos de atividades”.

A Resolução 17, no seu artigo 7º, § 1º, fere o texto e o espírito da Lei 12.378/2010, criada pelos arquitetos e urbanistas, onerando de forma inadequada e ilegal os profissionais.
A Lei determina que um RRT deve corresponder a um serviço/um trabalho, e não à cada atividade, como propõe a Resolução 17.
A Lei não trata de um RRT por “atividade”, mas sim faz referência ao “trabalho”, no seu sentido amplo e, muito especificamente, ao “empreeendimento” como um todo.

A Lei 12.378/2010:
Art. 45. Toda realização de trabalho de competência privativa ou de atuação compartilhadas com outras profissões regulamentadas será objeto de Registro de Responsabilidade Técnica – RRT.
Art. 46. O RRT define os responsáveis técnicos pelo empreendimento de arquitetura e urbanismo, a partir da definição da autoria e da coautoria dos serviços.
Art. 49. O valor da Taxa de RRT é, em todas as hipóteses, de R$ 60,00 (sessenta reais). (atualizado pelo INPC)

Em que pese o fato do CAU/BR já ter feito correções na forma de cobrança de RRTs, por atividades, ou mesmo por subatividades, conforme o que prevê –também- a Resolução 21 acredita-se que é necessário revisar a Resolução 17, em seu artigo 7°, § 1°, abaixo:
Art. 7° Para a efetivação do Registro de Responsabilidade Técnica (RRT) será exigido, previamente, o recolhimento da Taxa de RRT.
§ 1° A cada atividade caberá o recolhimento de uma taxa de RRT por profissional.

Sugerimos, como segue, a alteração do § 1° da referida resolução:

§ 1° A cada realização de trabalho, ou empreendimento, ou contrato, caberá o recolhimento de uma taxa de RRT por profissional.

As entidades do Fórum manifestam-se ao CAU/RS para que o plenário do mesmo aprecie e aprove, em moção, expressar seu apoio à revisão da Resolução 17 do CAU/BR.
Solicitamos, também, que este documento, com as devidas assinaturas, seja encaminhado ao plenário do CAU/BR pelo conselheiro representante do Estado do Rio Grande do Sul no mesmo.

IAB RS – Tiago Holzmann da silva
SAERGS – Cícero Alvarez
AsBEA RS – Joaquim Hass
AAI Brasil/RS – Sílvia Barakat

Fórum das Entidades de Arquitetos no Rio Grande do Sul
(IAB RS, SAERGS, AsBEA RS, AAI Brasil/RS)

Por: Diretoria Instituto de Arquitetos do Brasil - IAB

Outras Notícias

Outras Notícias