Receba Newsletter

Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!

Arquitetura dos Espelhinhos

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Este ano comemorou-se no Brasil os 500 anos da chegada dos luso-europeus às costas da Bahia, data em que o nosso país foi descoberto oficialmente. As criaturas que já viviam aqui, vulgarmente conhecidos como índios, eram na realidade uns coitados que nunca tinham descoberto nada mesmo, e portanto não nos interessa a versão dos seus poucos descendentes a respeito desta história. Corte! Coincidência ou não, este ano desembarcou em Porto Alegre o arquiteto português Álvaro Siza Vieira, que, ao contrário dos seus ascendentes, virá para construir e não para destruir. Aqui estará para visitar o terreno para o qual está desenvolvendo o projeto da Fundação Iberê Camargo, Museu que abrigará as obras deste importante artista sul-riograndense. Será, dizem, a primeira obra de um importante arquiteto internacional no Brasil, e até mesmo na América Latina.
Outra vez estamos sendo descobertos para o mundo civilizado pelos luso-europeus.
Nos tempos de Cabral, o descobridor do Brasil, aqui nestas terras não existiam conquistadores nem colonizadores, porquê, como já mencionei, só existiam índios, e quem se importa com eles? Porém, por uma série de acasos e circunstâncias históricas, hoje em dia já existem arquitetos, claro que não tão brilhantes, competentes e bonitos como os que vem de fora, mas, felizmente ou não, eles existem.
Eu, por outra série de coincidências deste tipo, acabei me formando arquiteto. Veja só! E agora me sinto no dever de manifestar minha opinião a respeito da ruidosa polêmica que se criou em torno da importação de arquitetos para construir os monumentos da nossa cidade.
Apesar do disfarçado cinismo deste texto, não pretendo, em nenhum momento, discutir o brilhantismo, a competência ou a beleza do arquiteto Álvaro Siza ou de qualquer outro Arq Pop Star, pois não tenho dúvida que eles serão capazes de dar-nos boas lições de arquitetura e civilidade. Assim como tenho certeza também que o intercâmbio social, artístico, etc, entre as mais diversas culturas é desejado, necessário e muito bem vindo. Porém, não é o que acontece neste caso e tenho muito claro que a questão a tratar é outra.
O fundamental na minha opinião é discutir até quando estaremos importando soluções e nos subjugando às lógicas impostas internacionalmente em vez de instrumentalizar-nos para atuar com competência na nossa cidade e na nossa sociedade? Até quando nos omitiremos da nossa responsabilidade de formação analítica e crítica e do desenvolvimento de soluções próprias para os nossos próprios problemas? Até quando estaremos imitando modelos exóticos em vez de descobrirmos, valorizarmos e assumirmos a nossa própria cultura? Até quando continuaremos a nos colocar “aos pés” dos colonizadores e sermos tratados como os pobres índios que ganham espelhinhos e o que realmente querem ver é a imagem do colonizador refletida?
E se estas discussões não interessarem, pois que venham todos os Arq Pop Stars, para dar-nos lições, e ensinar-nos arquitetura de verdade, e assim, quem sabe um dia, miraremos no espelhinho e veremos uma bela imagem refletida, brilhante, competente e bonita, mas que seguramente não terá nada que ver com a nossa própria cara. E, quem sabe assim, poderemos ver a nossa cidade nas revistas internacionais de arquitetura. Já imaginaram um número exclusivo de uma daquelas japonesas de fotos bonitas estampando na capa obras de Arq Pop Stars realizadas neste fim-de-mundo que é capital da nossa província.
Que emoção, nem posso imaginar… Viva a Recolonização do Brasil!

IAB - RS

Por: Diretoria Instituto de Arquitetos do Brasil - IAB

Outras Notícias

COMUNICADO DO IAB RS SOBRE O ESTADO DE CALAMIDADE CLIMÁTICA

O momento é grave e compreendemos que enquanto Instituto temos um trabalho de articulação de impacto a médio prazo, sendo provocadas e estruturadas redes que auxiliem nas questões habitacionais e de reestruturação das cidades, com projetos que considerem os riscos e impactos que os eventos climáticos tem gerado em nossas cidades, de modo mais frequente e de maior intensidade. Compreendendo a sensibilidade das questões ambientais, com a natureza impondo seus limites, frente às ocupações urbanas.

Leia Mais →

Nota pública em apoio às familias atingidas pelas enchentes no RS

O IAB-RS manifesta solidariedade às famílias atingidas pelas inundações e enchentes no Rio Grande do Sul. Os eventos de chuvas extremas estão se mostrando uma realidade com recorrência no nosso estado. O momento pede a soma de esforços de todos os setores da sociedade para ajudar aqueles que estão em situação de vulnerabilidade.

Leia Mais →

Outras Notícias

IAB RS participa da 178ª reunião do COSU

O correu em Aracaju, nos dias 22 e 24 de abril, o 1º Seminário Nacional de Arquitetura e Urbanismo do estado de Sergipe (ArqUrb.SE). Na sequência, entre os dias 25 e 27 de abril, foi realizada a 178ª Reunião do Conselho Superior do IAB (COSU), com abrangência nacional. Os dois eventos foram promovidos pelo Instituto de Arquitetos do Brasil – Departamento Sergipe (IAB-SE) com apoio do IAB Nacional. O IAB RS esteve presente na reunião.

Leia Mais →

Primeira fase da requalificação da Avenida 25 de Julho em Flores da Cunha iniciará em maio

Flores da Cunha de cara nova: a partir do mês de maio, a principal via da cidade – que conecta o município de norte a sul – será requalificada. A iniciativa da administração municipal iniciou ainda em 2021, com o lançamento do Concurso Público Nacional “Avenida 25 de Julho”, realizado em parceria com o IAB RS, e apoio do CAU/RS e da ABAP, e resultou em um novo projeto estético e funcional para a Avenida 25 de Julho. Em função das chuvas, a prefeitura informou que a cerimônia de início da obra, com o lançamento da Pedra Fundamental, foi adiada, e nova data será divulgada em breve.

Leia Mais →

50 anos do retorno da democracia em Portugal e colônias africanas é celebrado com exposição no IAB RS

Em 25 de abril de 1974 Portugal retomava o regime democrático, após um longo período de ditadura iniciada em 1933. A chamada Revolução dos Cravos é relembrada, 50 anos depois, por meio de uma exposição organizada pelo Instituto de Arquitetos do Brasil – Departamento Rio Grande do Sul (IAB RS) e a ADUFRGS Sindical, com apoio do Consulado Português, e curadoria de Airton Cattani e Daniela Fialho, que colecionou 47 cartazes de manifestações distribuídos nas ruas no período da revolução. A exposição segue aberta no Solar do IAB (Rua General Canabarro 363, Centro Histórico, em Porto Alegre), com visitação gratuita de segunda a sexta-feira, das 10h às 12h, e das 14h30 às 17h, até o dia 24 de maio.

Leia Mais →

Na mídia: Diretora adjunta de comunicação do IAB RS, Karolina Silva participou de bate-papo sobre mobilidade e mudanças climáticas, na TVE

O tema mobilidade urbana e mudanças climáticas, cada vez mais urgente em todas as esferas de debate, foi tema do programa Rodar, da TVE RS, apresentado por Pati Salvadori, na noite do dia 25 de abril. O bate-papo contou com a presença da diretora de comunicação adjunta do IAB RS, karolina Silva, e da ciclista e ativista Carol Strüssmann.

Leia Mais →