Receba Newsletter

Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!

Concurso UNISINOS: divulgação dos resultados da Primeira Etapa

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

A organização do Concurso Público Nacional de Arquitetura e Urbanismo do COMPLEXO DE DESPORTO E LAZER DA UNISINOS divulgou os resultados de sua primeira etapa conforme o cronograma previsto. Na última segunda-feira, 12 de janeiro, foram conhecidas as equipes classificadas e as duas Menções Honrosas concedidas pela Comissão Julgadora. Classificaram-se para a Segunda Etapa os seguintes trabalhos: equipe do Arq. Michel de Andrado Mittmann; equipe do Arq. Cesar Dorfman; e ainda o trabalho de autoria do Arq. Jaime Marcondes Cupertino. As menções honrosas ficaram com os trabalhos de autoria dos arquitetos Mário Biselli e Eduardo Lucio Rebeschini Maurmann. Em breve a equipe do InfoIAB-RS estará publicando imagens dos projetos selecionados. Mais notícias sobre esta etapa do Concurso no Jornal da Unisinos (http://www.ju.unisinos.br/detalhes_materia.asp?editoria=institucional&CodMateria=1429) Mais notícias sobre esta etapa do Concurso Unisinos no site Arcoweb (http://www.arcoweb.com.br/emdia.asp?atual=1298) ATA DA COMISSÃO JULGADORA Os trabalhos de julgamento da primeira etapa do Concurso Público Nacional de Arquitetura e Urbanismo do COMPLEXO DE DESPORTO E LAZER DA UNISINOS foram realizados entre os dias dias 08 e 09 de janeiro de 2004, em Salão anexo à Reitoria no Centro Comunitário da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos). A primeira atividade da Comissão, no dia 08 de janeiro, foi a realização de uma visita à área de intervenção do Concurso, juntamente com a Coordenação do Concurso e representantes do Promotor. A Comissão Julgadora foi instalada formalmente às 15h do dia 08 de janeiro, por dois dos Coordenadores do Concurso, arq. Tiago Holzmann da Silva e arq. Cristiana Bersano e por representantes da Unisinos, Sra. Cornélia Hulda Volkart, Sr. Rogério Delanhesi e arq. Fernando Pasquali, membros da Comissão Consultiva e os engenheiros Marco Stumpf González e Antônio Luiz Piccoli, Consultores do Concurso. A comissão foi composta pelos membros titulares indicados pelo IAB-RS e Unisinos, os arquitetos: Carlos Sallaberry, Moacyr Moojem Marques, Gilberto Flores Cabral, Thomas Sprechmann e Ronaldo Ströher. Também esteve presente o membro suplente, arq. Fernando Duro Silva. Foram considerados, na sistemática do julgamento, somente os votos dos cinco titulares. A Coordenação do Concurso apresentou considerações sobre as condições de recebimento dos 22 trabalhos entregues. Todos cumpriram os prazos estabelecidos no Regulamento. Um dos trabalhos foi entregue fora do padrão de apresentação exigido pelo Regulamento, apesar disso a Coordenação não recomendou a sua desclassificação tendo esse trabalho participado do julgamento. Inicialmente a Comissão escolheu o arq. Carlos Sallaberry como seu presidente e o arq. Ronaldo Ströher como seu relator. Em seguida a Comissão estabeleceu a dinâmica para o desenvolvimento de suas atividades, baseada na seleção individual das propostas, a partir de um primeiro exame do conjunto dos trabalhos, objetivando a identificação de um grupo para uma posterior análise que resultou na seleção preliminar de nove projetos sendo eles: CDL03, CDL04, CDL05, CDL07, CDL09, CDL11, CDL12, CDL13 e CDL18 . Após as análises críticas estabelecendo comparações entre as propostas, buscando identificar o ponto de equilíbrio entre os parâmetros solicitados dentro de uma solução global de valor arquitetônico, a Comissão, por decisão da maioria, selecionou cinco propostas das quais resultaram duas propostas menções honrosas, que são: Primeira Menção: esta proposta está plenamente articulada em suas funções específicas, espaços livres e construídos, adotando uma estratégia de dois eixos perpendiculares que organizam e unificam o partido geral. A praça de acesso articulada com o campus inicia e é parte do percurso, agregando clareza na concepção, onde a arquitetura da arena é o ponto alto do projeto. Nesse aspecto, corresponde positivamente às expectativas presumidas nas recomendações do comitente. A resolução relativamente esquemática dos componentes do programa dificulta a melhor compreensão do projeto. Observa-se que a proposta estrutural, muito audaz e comprometida em sua resolução técnica, deveria ter apresentado uma maior definição de suas possibilidades de execução, construção em etapas e viabilidade econômica. Por essas características, foi atribuída ao trabalho CDL07 uma Menção Honrosa. Segunda Menção: o partido geral desta proposta é estabelecido com clareza segundo um eixo de composição que articula o espaço generoso da praça de acesso a todas as unidades do conjunto. Propõe uma estrutura constituída de um grande arco abatido que cobre parcialmente a arena e área das piscinas. Este arco está sobreposto à outra forma curva, plana, formando um conjunto que parece buscar uma volumetria destacada, enfatizando com isso uma das diretrizes constantes no edital. Este conjunto, no entanto, dada sua forma e materiais de construção previstos (telhas metálicas), pareceu contraposto ao conjunto do Campus conferindo alusão formal a uma arquitetura industrial. Há uma saudável preocupação com aspectos ambientais, utilização de tecnologia e materiais alternativos e da reciclagem de subprodutos. Por essas características, foi atribuída ao trabalho CDL04 uma Menção Honrosa. A seguir, a Comissão Julgadora classificou as três propostas a serem desenvolvidas na segunda etapa do Concurso, que são: Proposta Classificada: esta proposta atende os requisitos dos Clientes em termos da criação de espaços abertos coletivos, lugares de integração e acessos plenamente legíveis. A inserção de um prédio de desenvolvimento linear na porção norte do terreno junto às arquibancadas preexistentes permite a criação de uma praça interna que, pela sua configuração e dimensão, apresenta um bom potencial de uso coletivo. Este mesmo prédio permite uma integração geral do conjunto e organiza as circulações e acessos criando um elemento unificador na fachada voltada para o Campus. O projeto atende com rigor todas as funções do programa e preocupa-se em explicitar diversas modalidades de utilização da Arena. Por essas características, o trabalho CDL18 foi classificado entre os três vencedores da primeira etapa. A banca entretanto observa que os prédios do centro poliesportivo e do anexo proposto, na porção oeste do conjunto, poderiam ter uma melhor integração volumétrica e plástica, recomendando seu reestudo na etapa subseqüente. Proposta Classificada: esta proposta hierarquiza o eixo biblioteca/área administrativa e área de esportes, que se une com um percurso que atravessa espaços verdes existentes. Apresenta um conceito integrador do espaço, criando lugares de encontro ao longo do mesmo. Além disso, gera e articula as circulações de pedestres do projeto através de duas praças extremas que aproveitam o desnível do terreno, ligando-se com a área educativa através de um túnel. Cria uma praça que integra a arquibancada com o edifício a ser construído em frente. Uma grande cobertura plana vincula os espaços lúdicos, não perturbando a paisagem nem modificando a escala. Ainda que não inclua na arena todas as funções que deveriam ser contempladas na primeira etapa, o edifício que as contém, próximo à arena, permite pensar a construção do mesmo em etapas. É interessante a proposição original de vincular através de uma ponte os esportes aquáticos com o lago. Esta ponte permite desenvolver no mesmo um bar/ confeitaria panorâmico. Por essas características, o trabalho CDL09 foi classificado entre os três vencedores da primeira etapa. Aconselhando-se para a segunda etapa, estudos de altura e comprimento do edifício em frente às arquibancadas, assim como o atendimento de todas as funções previstas para a Arena. Proposta Classificada: trata-se de uma proposta que insere o prédio com sensibilidade, reconhecendo as potencialidades e limitações do lugar, assim como as principais tensões com os principais componentes do campus. Destaca-se particularmente a cuidada e fina resolução de sua arquitetura, baseada numa proposta formal sóbria e contida que valoriza adequadamente a significação representativa dos principais componentes do conjunto. Salienta-se a resolução da cobertura da arena, adaptada com naturalidade aos elementos existentes, como também ressalta-se a resolução do espaço multiuso em seus aspectos funcionais internos e em sua potencial vinculação com o entorno e com a paisagem. Observa-se a contiguidade do complexo poliesportivo, tanto com respeito às tribunas da pista de atletismo e às potencialidades visuais da paisagem, como quanto à distribuição interna de suas atividades. A resolução interna do projeto é muito incipiente, fato que limitou uma maior potencialidade das soluções propostas, e apresenta, ao mesmo tempo, diversos pontos de incerteza, a serem definidos na próxima fase do trabalho. Por essas características, o trabalho CDL 03 foi classificado entre os três vencedores da primeira etapa. De uma maneira geral, a Comissão Julgadora questiona a localização do centro aquático, num lugar muito pouco qualificado do conjunto, comprometendo, ainda a resolução mais tranqüila do resto dos componentes do complexo. A Comissão Julgadora, na totalidade dos seus membros, agradece ao IAB-RS e à Unisinos as condições favoráveis para o desenvolvimento dos trabalhos de julgamento. Assim como enaltece a importância da iniciativa de promoção de Concursos Públicos de Arquitetura.
Porto Alegre, 09 de janeiro de 2004.
Carlos Sallaberry
Presidente da Comissão Julgadora – IAB-RS
Moacyr Moojem Marques
IAB-RS
Gilberto Flores Cabral
IAB-RS
Thomas Sprechmann
UNISINOS
Ronaldo Ströher
Veja a lista de equipes participantes do Concurso Público Nacional de Arquitetura e Urbanismo do COMPLEXO DE DESPORTO E LAZER DA UNISINOS (file:///C:/conteudo%20iab%20atual/iab/www.iab-rs.org.br/artigo/index3249.html?art=314)

IAB - RS

Por: Diretoria Instituto de Arquitetos do Brasil - IAB

Outras Notícias

COMUNICADO DO IAB RS SOBRE O ESTADO DE CALAMIDADE CLIMÁTICA

O momento é grave e compreendemos que enquanto Instituto temos um trabalho de articulação de impacto a médio prazo, sendo provocadas e estruturadas redes que auxiliem nas questões habitacionais e de reestruturação das cidades, com projetos que considerem os riscos e impactos que os eventos climáticos tem gerado em nossas cidades, de modo mais frequente e de maior intensidade. Compreendendo a sensibilidade das questões ambientais, com a natureza impondo seus limites, frente às ocupações urbanas.

Leia Mais →

Outras Notícias

Nota pública em apoio às familias atingidas pelas enchentes no RS

O IAB-RS manifesta solidariedade às famílias atingidas pelas inundações e enchentes no Rio Grande do Sul. Os eventos de chuvas extremas estão se mostrando uma realidade com recorrência no nosso estado. O momento pede a soma de esforços de todos os setores da sociedade para ajudar aqueles que estão em situação de vulnerabilidade.

Leia Mais →

IAB RS participa da 178ª reunião do COSU

O correu em Aracaju, nos dias 22 e 24 de abril, o 1º Seminário Nacional de Arquitetura e Urbanismo do estado de Sergipe (ArqUrb.SE). Na sequência, entre os dias 25 e 27 de abril, foi realizada a 178ª Reunião do Conselho Superior do IAB (COSU), com abrangência nacional. Os dois eventos foram promovidos pelo Instituto de Arquitetos do Brasil – Departamento Sergipe (IAB-SE) com apoio do IAB Nacional. O IAB RS esteve presente na reunião.

Leia Mais →

Primeira fase da requalificação da Avenida 25 de Julho em Flores da Cunha iniciará em maio

Flores da Cunha de cara nova: a partir do mês de maio, a principal via da cidade – que conecta o município de norte a sul – será requalificada. A iniciativa da administração municipal iniciou ainda em 2021, com o lançamento do Concurso Público Nacional “Avenida 25 de Julho”, realizado em parceria com o IAB RS, e apoio do CAU/RS e da ABAP, e resultou em um novo projeto estético e funcional para a Avenida 25 de Julho. Em função das chuvas, a prefeitura informou que a cerimônia de início da obra, com o lançamento da Pedra Fundamental, foi adiada, e nova data será divulgada em breve.

Leia Mais →

50 anos do retorno da democracia em Portugal e colônias africanas é celebrado com exposição no IAB RS

Em 25 de abril de 1974 Portugal retomava o regime democrático, após um longo período de ditadura iniciada em 1933. A chamada Revolução dos Cravos é relembrada, 50 anos depois, por meio de uma exposição organizada pelo Instituto de Arquitetos do Brasil – Departamento Rio Grande do Sul (IAB RS) e a ADUFRGS Sindical, com apoio do Consulado Português, e curadoria de Airton Cattani e Daniela Fialho, que colecionou 47 cartazes de manifestações distribuídos nas ruas no período da revolução. A exposição segue aberta no Solar do IAB (Rua General Canabarro 363, Centro Histórico, em Porto Alegre), com visitação gratuita de segunda a sexta-feira, das 10h às 12h, e das 14h30 às 17h, até o dia 24 de maio.

Leia Mais →