Receba Newsletter

Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!

DIA MUNDIAL DA ARQUITETURA

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

6 de outubro é o Dia Mundial da Arquitetura. Coincidentemente é também o Dia Mundial do “Habitat”. Data consagrada à reflexão, foi criada para que todas as pessoas possam avaliar o contexto espacial em que a sociedade está inserida, tanto do ponto de vista do espaço urbano e rural, como da qualidade de vida.
“A arquitetura é expressão da cultura”. Contribuição fundamental da história, da cultura e do “habitat”, figura na vida quotidiana dos cidadãos como um dos modos essenciais de expressão artística e cultural e constitui patrimônio da civilização. Documentos internacionais da UNESCO sobre arquitetura conferem o entendimento de que “uma arquitetura de qualidade pode contribuir eficazmente para a coesão social, para a promoção do desenvolvimento tecnológico e cultural, para assegurar trabalho para todos que atuam na cadeia produtiva da construção, conservação e preservação do espaço habitado, para a geração de emprego e renda, para o desenvolvimento social econômico e cultural aos níveis local, regional e nacional”. Tais conceitos são formulados no sentido de assegurar um melhor conhecimento da arquitetura, do urbanismo e do paisagismo, bem como sensibilizar os cidadãos para a compreensão do seu significado como expressão cultural.
A importância social da arquitetura no Brasil, praticada crescentemente por um maior número de profissionais, tem alcançado seu reconhecimento pelas Instituições Públicas Brasileiras a partir da edição da legislação que regulamenta o exercício da profissão do arquiteto e urbanista, consagrada pelo Decreto Lei Federal nº 23.569/33 e pela Lei Federal nº 5.194/66. Nestas leis estão definidos os direitos e as obrigações do exercício profissional, as competências disciplinares que permitem a fiscalização do exercício profissional, bem como dos dispositivos sobre as recomendações da disciplina e da conduta profissionais expressas no Código de Ética Profissional.
Estes objetivos legais devem estar comprometidos com um sistema de cooperação e articulação entre as diversas instâncias da Administração Pública, tanto da União, como dos Estados e dos Municípios, nas esferas dos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário, para assegurar aos cidadãos o exercício qualificado em empreendimentos de Arquitetura, tanto em projetos, como em obras, visando garantir aos usuários os benefícios de espaços edificados com qualidade, respaldados pela autoria e pela responsabilidade técnica de profissionais habilitados para o exercício da profissão. Se ainda não foram atingidos os níveis de qualidade de vida urbana para todos os cidadãos, o que é um direito assegurado pela Constituição Federal, não é absolutamente uma justificativa para que não sejam tomadas iniciativas e decisões em favor de políticas públicas, que alcancem os meios para que todos tenham acesso à Arquitetura e à Cidade ambientalmente sustentáveis e fundamentadas nos princípios do humanismo.
A lei conceitua o interesse social e humano dos empreendimentos de Arquitetura. Por outro lado o Capítulo da Cultura da Constituição Federal, assegura que “O Estado garantirá a todos o pleno exercício dos direitos culturais e acesso às fontes da cultural nacional, e apoiará e incentivará a valorização e a difusão das manifestações culturais”. Dentre as contribuições culturais destacam-se as que constituem o patrimônio cultural brasileiro, como as obras, as edificações e espaços destinados às manifestações artístico-culturais, as criações tecnológicas, os conjuntos urbanos e os sítios de valor histórico, paisagístico e científico, dentre outros que integram as cidades e as regiões metropolitanas e aglomerações urbanas. Tais dispositivos constitucionais conceituam, pois, que a criação no âmbito da arquitetura, a qualidade das construções, a sua inserção harmoniosa no ambiente circundante, o respeito às paisagens naturais e urbanas, bem como do patrimônio coletivo e privado são do interesse público. Os edifícios, pois, expressam, dentre outras funções, os conceitos estéticos, tecnológicos, históricos, emblemáticos e evocativos da evolução cultural e são portadores da identidade e da memória individual e coletiva.
É certo o entendimento de que a formação acadêmica, acrescida da prática, do espírito crítico, da experiência, da criatividade, da pesquisa científica e da permanente avaliação aproxima o processo da continuada busca da qualidade da Arquitetura. Mas sem formação adequada é impossível enfrentar a crescente complexidade e a responsabilidade social inerente à atividade de organização do espaço habitado, da Arquitetura e do Meio Ambiente Urbano.
Iniciativa originária da articulação de vários segmentos da sociedade civil, com a participação dos arquitetos, a questão da arquitetura e das cidades brasileiras, em 1987, proporcionou o encaminhamento da emenda popular pela Reforma Urbana à Assembléia Constituinte. Desta forma foi conquistado o Capítulo da Política Urbana da Constituição Federal. O foco central objetivou a instituição da Função Social da Propriedade e da Cidade. Porém sua regulamentação exigiu, ainda, mais 13 anos de luta contínua do Movimento pela Reforma Urbana, tendo-se materializado o seu objetivo através da aprovação da Lei Federal 10.257/2001 – o denominado ESTATUTO DA CIDADE.
Após dois anos da sua regulamentação, o Estatuto da Cidade já está transformando as relações existentes entre os cidadãos e o Estado. Concretiza-se, hoje, um grande movimento popular e governamental através de um de seus mais expressivos instrumento, qual seja a CONFERÊNCIA DAS CIDADES. O principal objetivo é que o país possa contar com cidades mais justas para todos, com acesso à habitação digna, ao saneamento ambiental, ao transporte e mobilidade urbana, ao lazer, enfim o direito das comunidades à cidade como seu “habitat” – lugar em que nasce e vive naturalmente qualquer ser organizado.
É de vital importância o engajamento dos arquitetos e urbanistas como elo de ligação entre os diversos atores que participam da construção de cidades mais dignas. É, pois, o profissional que absorve as aspirações da sociedade e dos seus usuários e as transformam nas cidades que cidadãos desejam ter.
Os arquitetos e urbanistas, conscientes da função social da profissão e apoiados pela Constituição Federal e pela legislação do exercício profissional, decidiram se mobilizar para que o Congresso Nacional aprove uma Lei Federal que resguarde o direito à gestão própria de sua profissão. Apelam aos Poderes da República para que legislem e disciplinem o exercício profissional, de modo compatível com as suas atividades, como setor de importância vital para o Brasil.

Arq. José Albano Volkmer
Presidente IAB-RS | 2002/2003

Por: Diretoria Instituto de Arquitetos do Brasil - IAB

Outras Notícias

Na mídia: “Depois de construído, é difícil reverter”: o que dizem especialistas sobre mudanças na fachada do Pontal Shopping

Especialistas em urbanismo avaliam que a readequação da fachada da loja Leroy Merlin, no Pontal Shopping, na zonal sul de Porto Alegre, traz pequenas melhorias no visual e no microclima, mas não resolve o problema de sua construção ter se tornado uma barreira à contemplação e à conexão da Avenida Padre Cacique com a orla do Guaíba. Em entrevista ao jornal Zero Hora, a co-presidente do IAB-RS, Clarice Oliveira, ressalta que “Uma parede verde de plantas naturais é positiva porque vai diminuir o calor naquele microclima, com menos concreto. Vai ficar mais agradável, mas continuará sendo um paredão sem interface com o outro lado. Não vai deixar de ser uma barreira”.

Leia Mais →

NOTA PÚBLICA SOBRE OS PROCESSOS DE IMPUGNAÇÃO NAS ELEIÇÕS PARA O CMDUA.

O IAB-RS expressa preocupação em relação à ausência de registro dos pedidos de impugnação apresentados pelo instituto no âmbito do processo eleitoral das entidades de classe ligadas ao planejamento urbano no Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano e Ambiental (CMDUA). Conforme o cronograma estabelecido no edital 006/2023, utilizando os critérios estipulados no item 2.11 do referido edital, foi emitido um documento elencando 23 entidades que não demonstram caráter de atividades relacionadas ao planejamento urbano. Isso ocorreu após análise apropriada e indicação da regularidade dessas entidades para participação nas eleições do CMDUA.

Leia Mais →

Arquitetos vencedores do concurso de requalificação do Lago Joaquina apresentam projeto

Na tarde desta quarta-feira (10), os arquitetos e urbanistas do escritório OCRE, vencedores do Concurso Público Nacional de Arquitetura da Paisagem para Requalificação do entorno do Lago Joaquina Rita Bier, receberam a premiação de R$50 mil, assinaram o contrato de realização do projeto executivo e apresentaram a proposta vencedora para membros da Administração Municipal e comunidade.

Leia Mais →

Outras Notícias

Revelados os vencedores do Prêmio IAB-RS etapa estadual

Durante a Noite da Arquitetura, evento promovido pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Rio Grande do Sul (CAU/RS), foram revelados os vencedores do prêmio IAB-RS José Albano Volkmer para as turmas de 2022. O evento foi marcado, também, pela posse do conselho do CAU/RS para o triênio 2024-2026.

Leia Mais →

IAB-RS assina acordo para consultoria no programa RS Seguro COMunidade

O Governador do Estado, Eduardo Leite, lançou, na manhã do dia 15 de dezembro, o programa RS Seguro COMunidade, no Palácio Piratini, em Porto Alegre. Desenvolvido no âmbito do RS Seguro, a iniciativa integra o eixo voltado para políticas sociais preventivas e transversais, cujo foco de atuação são os territórios em situação de vulnerabilidade socioeconômica e com indicadores elevados de crimes violentos letais e intencionais, consumados ou tentados. O o IAB-RS realizará três concursos nacionais, em que serão selecionados projetos urbanísticos integrados para três localidades: Umbu, Rubem Berta e Santa Tereza.

Leia Mais →

ARQUITETOS DE PORTO ALEGRE VENCEM CONCURSO QUE IRÁ REQUALIFICAR LAGO JOAQUINA RITA BIER EM GRAMADO

Na noite desta quarta-feira (13/12) foi realizada em Porto Alegre a cerimônia de divulgação dos vencedores do “Concurso Público Nacional de Arquitetura da Paisagem para Requalificação do entorno do Lago Joaquina Rita Bier em Gramado, RS”, promovido pela Prefeitura Municipal de Gramado (RS) com organização do Instituto de Arquitetos do Brasil – Departamento do Rio Grande do Sul (IAB-RS) e apoio da Associação Brasileira de Arquitetos Paisagistas (ABAP) e do IAB-RS Núcleo Hortênsias. Os grandes vencedores da noite foram os arquitetos e urbanistas Thiago Yuuki Kajiwara, Ananda Maciel Oliveira e Diego Flamia, do escritório OCRE Arquitetura, de Porto Alegre.

Leia Mais →

Prêmio IAB-RS recebe inscrições até o dia 13 de dezembro

Arquitetos e urbanistas das turmas de 2022 têm até as 23h59 do dia 13 de dezembro para inscrever o seu trabalho de conclusão de curso (TCC) no prêmio IAB-RS José Albano Volkmer, edição 2023. A iniciativa, concebida em parceria com o Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Rio Grande do Sul (CAU/RS), premiará as ideias mais inovadoras e seus projetos inspiradores.

Leia Mais →