Receba Newsletter

Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!

ANDIAMO – PRESÍDIO NOS CAMINHOS DE PEDRA

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

From: José Albano Volkmer Sent: Saturday, December 02, 2006 7:42 AM To: Nestor José Foresti Subject: Andiamo: Turismo no Caminho dos Presídios Nestor, Imaginemos como seria a divulgação no ORIUNDI do Projeto “Caminhos dos Presídios”. “Venha a Bento Gonçalves e conheça a cultura da Contravenção”. O Roteiro iniciaria com uma visita a uma Cantina de Vinho nos porões fétidos do Presídio nos “Projeto Caminhos de Pedra”, provando vinhos produzidos pelos contraventores, sendo as uvas esmagadas a tiros de escopetas e rajadas de metralhadores. O roteiro também incluiria visitas a um enorme Presídio no Vale dos Vinhedos, ao lado da Vinícola Miolo, assim como transformaria os diversos “Castelos Medievais”, que caracterizam hoje a arquitetura de várias atuais vinícolas, em “Casas de Correção”, “Colônias Penais”, “Delegacias de Polícia” e esconderijos da Contravenção. Os turistas, além de viajarem no “Trem Maria Fumaça”, seriam assaltados por presidiários evadidos do Projeto “Caminhos dos Presídios”, tanto nas Estações de Bento Gonçalves, como nas de Garibaldi e Carlos Barbosa, sendo que todos – estrangeiros e nacionais – seriam tomados como reféns, para exigirem do Prefeito de Bento Gonçalves a construção de presídios, também, em Tuiutí e ao lado da Igreja Matriz de Santo Antônio, no centro da Cidade. Este é o perfil que está sendo construído para Bento Gonçalves, em breve. Por mais que o Governo do Estado tenha oferecido este belo projeto para Gramado e Canela, gentilmente estes dois Municípios declinaram da aceitação e preferiram optar pelo Planejamento Estratégico do desenvolvimento sustentável do Turismo Cultural, Ambiental, Paisagístico e de intercâmbio internacional. Bento Gonçalves parece estar optando pelo turismo da contravenção, começando na região do “Caminhos de Pedra” e não do “Vale dos Vinhedos”, na “FENAVINHO” e nem ao lado das indústrias de móveis. Aliás, o Sindicato de Hotéis, Bares, Restaurantes e Similares de Bento Gonçalves deveria optar por investimentos, também, em Charqueadas, pois a contravenção paga bem e sem Nota Fiscal! Desculpa o sarcasmo e a ironia, mas está tudo errado, Nestor. É, portanto, o momento do “Tudo ou Nada”. Vamos construir uma Campanha gigantesca e veemente, para inviabilizarmos este projeto do Estado em “parceria” com o Município de Bento Gonçalves. Andiamo, Albano

IAB - RS

Por: Diretoria Instituto de Arquitetos do Brasil - IAB

Outras Notícias

Nota pública: Suspensão da urbanização da Fazenda do Arado

A fazenda do Arado é patrimônio ambiental, arqueológico, histórico, cultural, arquitetônico e paisagístico de Porto Alegre, constituindo-se de uma zona primordial para manutenção de espécies da fauna e da flora, sujeita a enchentes e alagamentos por encontrar-se abaixo da cota de inundação do Guaíba. A zona serve como espaço de extravasamento natural do Guaíba, importante de ser preservado. O IAB RS reitera a necessidade de atenção máxima por parte dos governantes, sociedade civil, entidades e instituições às questões ambientais e suas relações com a cidade.

Leia Mais →

Na mídia: IAB RS participa de reportagem da Folha de São Paulo sobre reconstrução do RS

A copresidente do IAB RS, Clarice Misoczky de Oliveira, concedeu entrevista para reportagem da Folha de São Paulo. O ponto central foi a reconstrução do RS. “A questão habitacional é mais dramática. Há municípios no Vale do Taquari, como Muçum e Roca Sales, que se desenvolveram em áreas de encostas. Cidades como Santa Tereza em que parte das casas estão em áreas de inundações. Precisamos construir com segurança”, disse.

Leia Mais →

MANIFESTO IAB RS PARA A RECONSTRUÇÃO DO RS

Considerando a enorme tragédia causada pelos efeitos da crise climática e pelo descaso do poder público com o planejamento urbano e regional sustentável na promoção de cidades justas, igualitárias e ecologicamente  equilibradas, a Comissão Cidades/IAB RS, por meio deste, manifesta a necessidade de atenção às questões referentes às diferentes escalas de planejamento, arquitetura e urbanismo para reconstrução das cidades do Rio Grande do Sul, aqui agrupadas em dois grandes grupos: (A) Planejamento Urbano e Regional e (B) Moradia Digna.

Leia Mais →

Outras Notícias

COMUNICADO DO IAB RS SOBRE O ESTADO DE CALAMIDADE CLIMÁTICA

O momento é grave e compreendemos que enquanto Instituto temos um trabalho de articulação de impacto a médio prazo, sendo provocadas e estruturadas redes que auxiliem nas questões habitacionais e de reestruturação das cidades, com projetos que considerem os riscos e impactos que os eventos climáticos tem gerado em nossas cidades, de modo mais frequente e de maior intensidade. Compreendendo a sensibilidade das questões ambientais, com a natureza impondo seus limites, frente às ocupações urbanas.

Leia Mais →