Receba Newsletter

Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!

Paris bane carros poluentes

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Depois de implantar o Vélib, sistema público de compartilhamento de bicicletas, e anunciar o lançamento do Autolib, serviço semelhante que usará uma frota de carros elétricos, a capital francesa agora estuda a possibilidade de banir utilitários e automóveis a diesel muito antigos de suas ruas. Com essas medidas, o governo parisiense quer reduzir as emissões de dióxido de carbono e de partículas finas, responsáveis pela morte de 40 mil franceses por ano, segundo Nathalie Kosciusko-Morizet, ministra do Desenvolvimento Sustentável.

Os detalhes a respeito da proibição ainda estão sendo discutidos, mas a ideia é que, a partir de 2012, os veículos mais poluentes sejam impedidos de circular por certas regiões da cidade. Para tanto, os automóveis da capital deverão passar por um teste de emissão de gases que determinará se eles estão aptos a rodar pelo perímetro urbano. De acordo com o Ministério de Ecologia francês, mais de 160 cidades da Europa já colocaram em prática restrições desse tipo e, além de Paris, essa medida deve ser aplicada também em Lyon, Grenoble e Aix-en-Provence.

No segundo semestre de 2011, a expectativa é grande em relação ao lançamento do Autolib, sistema de compartilhamento de carros elétricos. Nele, o usuário precisará fazer uma assinatura (anual, mensal ou apenas para um dia de uso) que varia de 12 euros por mês (R$ 26,98) a 10 euros por dia (R$ 22,49). Além da mensalidade, o motorista deve pagar uma taxa que vai de 4 (R$ 8,99) a 8 euros (R$ 17,99) por meia hora de uso do automóvel.

A expectativa é de que o serviço conquiste adeptos pela sua facilidade. Uma vez inscrito, basta ao motorista fazer uma reserva online ou pelo telefone para poder retirar o carro, no dia e horário marcados, em um dos 1000 postos credenciados que deverão ser implantados em Paris e região. Munido do seu cartão de identificação, o assinante destrava o veículo e segue viagem, para depois devolvê-lo em qualquer estação da Autolib.

A princípio, serão colocados 3 mil carros 100% elétricos à disposição dos usuários, mas espera-se que esse número suba para 3,5 mil até 2016. O Bluecar ­ — um compacto com quatro lugares, equipado com rádio e GPS — foi o modelo escolhido para o projeto. Fabricado pela Bolloré em parceria com a italiana Pininfarina, o veículo é alimentado por uma bateria LMP (lítio, metal e polímero), com autonomia de 250 quilômetros e tempo de recarga de quatro horas. Só o grupo Bolloré já investiu 79 milhões de dólares no Autolib, mas estima-se que até o lançamento do serviço esse valor deverá subir para 131 milhões.

Fonte: site Ecocidades

IAB - RS

Por: Diretoria Instituto de Arquitetos do Brasil - IAB

Outras Notícias

Nota pública: Suspensão da urbanização da Fazenda do Arado

A fazenda do Arado é patrimônio ambiental, arqueológico, histórico, cultural, arquitetônico e paisagístico de Porto Alegre, constituindo-se de uma zona primordial para manutenção de espécies da fauna e da flora, sujeita a enchentes e alagamentos por encontrar-se abaixo da cota de inundação do Guaíba. A zona serve como espaço de extravasamento natural do Guaíba, importante de ser preservado. O IAB RS reitera a necessidade de atenção máxima por parte dos governantes, sociedade civil, entidades e instituições às questões ambientais e suas relações com a cidade.

Leia Mais →

Na mídia: IAB RS participa de reportagem da Folha de São Paulo sobre reconstrução do RS

A copresidente do IAB RS, Clarice Misoczky de Oliveira, concedeu entrevista para reportagem da Folha de São Paulo. O ponto central foi a reconstrução do RS. “A questão habitacional é mais dramática. Há municípios no Vale do Taquari, como Muçum e Roca Sales, que se desenvolveram em áreas de encostas. Cidades como Santa Tereza em que parte das casas estão em áreas de inundações. Precisamos construir com segurança”, disse.

Leia Mais →

MANIFESTO IAB RS PARA A RECONSTRUÇÃO DO RS

Considerando a enorme tragédia causada pelos efeitos da crise climática e pelo descaso do poder público com o planejamento urbano e regional sustentável na promoção de cidades justas, igualitárias e ecologicamente  equilibradas, a Comissão Cidades/IAB RS, por meio deste, manifesta a necessidade de atenção às questões referentes às diferentes escalas de planejamento, arquitetura e urbanismo para reconstrução das cidades do Rio Grande do Sul, aqui agrupadas em dois grandes grupos: (A) Planejamento Urbano e Regional e (B) Moradia Digna.

Leia Mais →

Outras Notícias

COMUNICADO DO IAB RS SOBRE O ESTADO DE CALAMIDADE CLIMÁTICA

O momento é grave e compreendemos que enquanto Instituto temos um trabalho de articulação de impacto a médio prazo, sendo provocadas e estruturadas redes que auxiliem nas questões habitacionais e de reestruturação das cidades, com projetos que considerem os riscos e impactos que os eventos climáticos tem gerado em nossas cidades, de modo mais frequente e de maior intensidade. Compreendendo a sensibilidade das questões ambientais, com a natureza impondo seus limites, frente às ocupações urbanas.

Leia Mais →