Receba Newsletter

Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!

Rede Minha Porto Alegre e IAB RS lançam campanha para frear Coronavírus

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
O isolamento social é essencial no enfrentamento à pandemia de Coronavírus. Por isso, as pessoas que trabalham em unidades de saúde (hospitais, postos de atendimento e outros) e que precisam voltar para suas famílias no final do expediente podem colocá-las em perigo. Foi pensando nisso que a Rede Minha Porto Alegre e o Instituto de Arquitetos do Brasil – Departamento Rio Grande do Sul (IAB-RS) lançou a campanha Quartos da Quarentena.

Hoje, Porto Alegre possui aproximadamente 18.000 quartos de hotéis e, em alguns estabelecimentos, a taxa de ocupação chega a apenas 2%. A campanha Quartos da Quarentena pretende que os quartos vagos de hotéis sejam utilizados por pessoas que trabalham na área da saúde e que, por esta exposição, oferecem risco aos seus familiares.

É função do Governo Estadual oferecer abrigo seguro para estes trabalhadores e trabalhadoras (profissionais da saúde e dos setores administrativo, de limpeza, entre outros), principalmente para quem divide a casa com pessoas dos grupos de risco.

Além disso, esta medida contribuiria com a sustentabilidade financeira dos hotéis, bastante afetados pelas baixas no turismo, garantindo o emprego de diversas pessoas.

Cidades do Brasil inteiro já tomaram providências nesse sentido e o Rio Grande do Sul também tem condições de fazer o mesmo – em Santa Maria, por exemplo, já há medida similar. O governador Eduardo Leite tem o poder de implementar esse projeto. O IAB-RS e a Minha Porto Alegre já entraram em contato com a Secretária de Planejamento, Orçamento e Gestão, senhora Leany Lemos, no dia 6 de abril de 2020, solicitando que a campanha Quartos da Quarentena seja colocada em prática.

Acessando o site https://bit.ly/quartosdaquarentenapoa  é possível solicitar ao Governador do Rio Grande do Sul Eduardo Leite, através da “Panela de Pressão” (ferramenta de disparo rápido de e-mails), que tome as providências para implementar o projeto.

A Rede Minha Porto Alegre e o IAB-RS estão estudando ainda como atender também outras populações vulneráveis da mesma forma, disponibilizando um local seguro.

Sobre a Rede Minha Porto Alegre:
A Minha Porto Alegre existe desde 2015. É uma rede de pessoas conectadas na construção de um processo mais participativo das tomadas de decisão de interesse público da cidade. Por meio de mobilizações e fomento a comunidades de ação, utilizando tecnologias sociais e digitais de maneira estratégica, criativa e humana para cocriar soluções e modificar políticas públicas.

Sobre o IAB-RS:
O IAB-RS fundado em 19 de março de 1948, congrega profissionais e estudantes de Arquitetura e Urbanismo para a defesa da profissão, promovendo o desenvolvimento dos profissionais em todos os seus campos de atuação; contribuindo para a solução do problema habitacional e da organização do espaço urbano; incentivando a pesquisa de novos materiais, novos elementos e novos processos construtivos; estimulando o contínuo aperfeiçoamento do ensino da arquitetura e urbanismo; promovendo e organizando Concursos de projetos; promovendo o desenvolvimento da formação do Arquiteto e Urbanista, entre muitas outras finalidades.

Mais informações:
Clara Alencastro – clara@minhaportoalegre.org.br  (51) 999970322
Elisa Bonotto – zi@minhaportoalegre.org.br  (51) 982285566
Sabrina Ortácio (IAB RS) – sabrinaortacio@gmail.com (51) 981967951
Site da Campanha: https://bit.ly/quartosdaquarentenapoa
Site da Minha Porto Alegre – www.minhaportoalegre.org.br
Página da Minha Porto Alegre no Facebook – https://www.facebook.com/redeminhaportoalegre/

IAB - RS

Por: Diretoria Instituto de Arquitetos do Brasil - IAB

Outras Notícias

Nota pública: Suspensão da urbanização da Fazenda do Arado

A fazenda do Arado é patrimônio ambiental, arqueológico, histórico, cultural, arquitetônico e paisagístico de Porto Alegre, constituindo-se de uma zona primordial para manutenção de espécies da fauna e da flora, sujeita a enchentes e alagamentos por encontrar-se abaixo da cota de inundação do Guaíba. A zona serve como espaço de extravasamento natural do Guaíba, importante de ser preservado. O IAB RS reitera a necessidade de atenção máxima por parte dos governantes, sociedade civil, entidades e instituições às questões ambientais e suas relações com a cidade.

Leia Mais →

Na mídia: IAB RS participa de reportagem da Folha de São Paulo sobre reconstrução do RS

A copresidente do IAB RS, Clarice Misoczky de Oliveira, concedeu entrevista para reportagem da Folha de São Paulo. O ponto central foi a reconstrução do RS. “A questão habitacional é mais dramática. Há municípios no Vale do Taquari, como Muçum e Roca Sales, que se desenvolveram em áreas de encostas. Cidades como Santa Tereza em que parte das casas estão em áreas de inundações. Precisamos construir com segurança”, disse.

Leia Mais →

MANIFESTO IAB RS PARA A RECONSTRUÇÃO DO RS

Considerando a enorme tragédia causada pelos efeitos da crise climática e pelo descaso do poder público com o planejamento urbano e regional sustentável na promoção de cidades justas, igualitárias e ecologicamente  equilibradas, a Comissão Cidades/IAB RS, por meio deste, manifesta a necessidade de atenção às questões referentes às diferentes escalas de planejamento, arquitetura e urbanismo para reconstrução das cidades do Rio Grande do Sul, aqui agrupadas em dois grandes grupos: (A) Planejamento Urbano e Regional e (B) Moradia Digna.

Leia Mais →

Outras Notícias

COMUNICADO DO IAB RS SOBRE O ESTADO DE CALAMIDADE CLIMÁTICA

O momento é grave e compreendemos que enquanto Instituto temos um trabalho de articulação de impacto a médio prazo, sendo provocadas e estruturadas redes que auxiliem nas questões habitacionais e de reestruturação das cidades, com projetos que considerem os riscos e impactos que os eventos climáticos tem gerado em nossas cidades, de modo mais frequente e de maior intensidade. Compreendendo a sensibilidade das questões ambientais, com a natureza impondo seus limites, frente às ocupações urbanas.

Leia Mais →